Maré vai receber vacinação em massa contra a Covid-19 no fim de julho

O gigantesco Complexo do Maré, na Zona Norte do Rio, aguarda ansiosamente o fim de julho. A Fiocruz, com apoio da Secretaria Municipal de Saúde, irá realizar uma vacinação em massa na comunidade entre os dias 29 de julho e 1º de agosto. A meta é vacinar todos os moradores maiores de 18 anos de uma só vez.

“A pesquisa tem articulação com a Rede Maré, ONGs e associações de moradores. O objetivo é vacinar 31 mil pessoas em três dias. Vamos contar com apoio de mais ou menos mil profissionais de saúde e a gente espera que, com essa força-tarefa, a Maré seja um case para a efetividade da vacina”, explicou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

A intenção é fazer uma vacinação no mesmo modelo da que foi realizada no mês passado em Paquetá, pela prefeitura, e na Ilha Grande, no Sul do Estado. Nesses locais, pessoas maiores de 18 anos que ainda não tinham sido vacinadas receberam a imunização em um mutirão realizado em um só dia. A Maré, demograficamente muito maior, reúne 17 favelas.

A prefeitura do Rio vai antecipar mais uma vez o calendário de vacinação contra a covid-19. Dessa vez, o calendário foi adiantado em 12 dias, terminando a imunização de toda a população adulta em 18 de agosto. Em 34 dias, todos os cariocas vão ter recebido pelo menos a primeira dose de alguma das vacinas contra a doença. O anúncio foi feito na quinta-feira, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais do prefeito Eduardo Paes.

Na transmissão, Paes disse que adolescente também vão ser beneficiados com a antecipação. O grupo, que contempla idades entre 12 e 17 anos, vai receber a primeira dose da vacina da Pfizer a partir de 23 de agosto. O calendário para esse público termina em 10 de setembro, com uma repescagem para todas idades. A cidade do Rio foi a primeira a anunciar a vacinação de menores de idade.

Já as doses de reforço para os idosos vão passar a ser oferecidas no mês de outubro. O secretário disse que, caso haja uma queda de imunidade da população de 80 anos ou mais, que ainda é analisada, o reforço chega aos idosos de 80 ou mais em outubro, em 70 ou mais em novembro e 60 ou mais em dezembro. “É uma decisão super importante, mas está em discussão. É uma população que tem mais dificuldade para produzir anticorpos. Ainda está em análise, mas é importante que a gente se planeje”, declarou Soranz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: