Mais de 32 mil moradores de Nova Iguaçu atingidos pela chuva de granizo são beneficiados com liberação do FGTS

Com o fim do atendimento às vítimas da chuva de granizo, no dia 25 de outubro de 2019, que começou no dia 2 de janeiro e terminou nesta quinta-feira (20), mais de 32 mil moradores de Nova Iguaçu foram beneficiados pela liberação do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O valor total foi de R$ 142.125.961,60. Esse valor ajudou as vítimas na recuperação dos danos causados pelo temporal, que atingiu pelo menos 20 bairros da cidade.

“A Prefeitura solicitou para a Caixa a liberação do FGTS dos moradores atingidos pela chuva de granizo e o banco entendeu a necessidade de atender ao nosso pedido. Essa iniciativa foi de extrema importância para os iguaçuanos, pois eles puderam refazer suas casas”, afirma o prefeito de Nova Iguaçu, Rogerio Lisboa. “Além deles, a economia local também foi beneficiada, com o dinheiro liberado das contas do FGTS está circulando pelo comércio da cidade”.

Somente no galpão do antigo Restaurante Popular, onde a Prefeitura montou um ponto estratégico de atendimento, 18.869 pessoas fizeram solicitação e 11.663 delas puderam sacar até R$ 6.220, valor máximo determinado pela Caixa. O atendimento terminou nesta quinta-feira (20).

A Secretaria Municipal de Defesa Civil, com apoio da Secretaria de Assistência Social, que ajudou aos moradores com documentação e o cadastro das ruas, atendeu 13.057 pessoas no Restaurante Popular. O total de contas autorizadas pela Caixa em todas as agências para o saque do FGTS foi de 32.808 pessoas.
 
“Esse dinheiro veio em boa hora. Consegui comprar aos poucos, de forma parcelada, uma nova televisão e cama, além de reformar algumas telhas. Agora vou comprar móveis para recomeçar a vida, após esse desastre”, disse o peixeiro Wilson da Costa Pereira, de 57 anos, morador de Comendador Soares, que solicitou o saque no último de atendimento.

Quem também deixou para solicitar o saque na última hora foi o operador de máquinas Sebastião Claudio da Conceição Bonfim, de 45 anos.

“O estrago em casa foi grande, perdi quase todas as telhas. A destruição foi rápida e devastadora. Vou usar o dinheiro do FGTS para comprar colchão, sofá, armário. Vim pegar declaração para comprovar minha residência e poder fazer a solicitação do saque. Infelizmente o brasileiro deixa tudo para a última hora, mas o importante é que consegui”, disse ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito