Maioria do STF arquiva pedido de investigação de cheques para Michelle Bolsonaro

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) formaram maioria para arquivar o pedido de investigação sobre o caso dos cheques depositados por Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro.  O relator, ministro Marco Aurélio Mello, se manifestou a favor do arquivamento e até o início da tarde desta segunda (5) os ministros Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Rosa Weber haviam acompanhado o voto dele.

O julgamento do pedido ocorre de forma virtual e começou em 25 de junho, com previsão de se estender até 2 de agosto.

Ao todo, ao menos 21 cheques totalizando R$ 89 mil foram depositados na conta de Michelle, de 2011 a 2016. Entre os autores dos depósitos está o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ),  Fabrício Queiroz. Ele é apontado pelo Ministério Público como operador do esquema de rachadinha no gabinete de Flávio à época em que ele era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

O pedido de investigação foi apresentado em 2020 pelo advogado Ricardo Bretanha Schmidt, após publicação de reportagens na Revista Crusoé indicando os depósitos.

De acordo com a revista, somente em 2016, foram nove depósitos, totalizando R$ 36 mil.  Os cheques foram compensados em 25 de abril, 19 e 23 de maio, 20 de junho, 13 de julho, dois em 22 de setembro, 14 de novembro e 22 de dezembro.

Em maio, o procurador-geral da República Augusto Aras afirmou não ter enxergado “indícios do cometimento de infrações penais pelo presidente”. Ele disse, também, não ver indícios “mínimos” de infração penal no caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: