Magé receberá projeto estadual RJ Alimenta

1.500 refeições gratuitas serão servidas diariamente durante quatro meses

O programa “RJ Alimenta” do Governo do Estado, que distribui refeições gratuitas para pessoas em situação de vulnerabilidade social, chega a Magé no próximo mês. Nesta quarta-feira (14), representantes da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos fizeram uma visita técnica no “Complexo da Água Doce”, em Suruí, local que vai receber o projeto que prevê a distribuição de 1.500 refeições por dia.

“Essa parceria com o Governo do Estado é muito importante. O RJ Alimenta vai distribuir 1.500 refeições diariamente para os moradores do quarto distrito, em Suruí. Serão 500 cafés, 500 almoços e 500 jantares. Escolhemos a Água Doce, onde vamos construir um complexo com escola e posto de saúde, e que apresenta necessidade de ações nesse sentido para reduzir os índices de vulnerabilidade. Durante quatro meses o programa vai ajudar diversas pessoas que vão se alimentar sem custo nenhum, é uma forma de fazer o bem sem olhar a quem”, explicou o prefeito Renato Cozzolino.

O Programa RJ Alimenta é uma ação emergencial do Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSDH) com o objetivo de prestar assistência alimentar às pessoas que estão em situação de insegurança alimentar durante a pandemia da Covid-19.

“Estamos vivendo um momento difícil, de desemprego, de pobreza e da fome. Essa é uma ação da SEDSDH no sentido de garantir o direito à alimentação e oferecer refeições saudáveis por compreender como é fundamental uma alimentação de qualidade nesse momento de pandemia para que a gente possa fortalecer o sistema imunológico das pessoas. O projeto funciona todos os dias, inclusive, nos feriados, com café da manhã às 7h, almoço ao meio-dia e jantar às 17h. O cardápio é preparado de forma cuidadosa pela nossa equipe de nutricionistas, a comida não é igual todos os dias e tem um sabor muito bom, porque temos um retorno positivo nas outras unidades”, contou a superintendente de Segurança Alimentar e Nutricional da SEDSDH, Luiza Trabuco.

O projeto tem previsão de início em duas semanas. A Prefeitura vai montar a estrutura para receber os cidadãos com mesas e cadeiras para que as pessoas que moram mais distantes possam fazer a refeição no local. Os protocolos de segurança e prevenção a Covid-19 serão aplicados para que não haja aglomeração, com distanciamento de 1,5 metros entre as pessoas e divisão em pequenos grupos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: