fbpx

Livre, leve e solto, Flamengo vence Corinthians por 3×1

Everton Ribeiro fez um golaço, Bruno Henrique assumiu a artilharia do Brasileiro, Gabigol e Arrascaeta deram assistências. O quarteto ofensivo brilhou na vitória do Flamengo sobre o Corinthians por 3 a 1, na NeoQuímica Arena, no domingo. Mas, além da costumeira qualidade técnica destes jogadores, é possível explicar a dominância do time de Renato Gaúcho a partir de seus zagueiros.

Outrora criticados – e ainda não completamente nas graças da torcida -, Gustavo Henrique e Léo Pereira simbolizam bem como o Flamengo construiu a vitória sobre o Corinthians. Desde o primeiro minuto, o time alugou o campo ofensivo e não saiu de lá até os minutos finais do jogo. E a dupla de zaga rubro-negra em momento algum foi incomodada. Foi a partir dela que todos os ataques do Flamengo saíram.

Flamengo comemora o gol sobre o Corinthians — Foto: Marcello Zambrana/AGIF

Sem a menor pressão do Corinthians, Gustavo e Léo podiam sair livremente com a bola. Tinham tempo para escolher o melhor passe e acertá-lo. Cada passe endereçado aos meio-campistas iniciava um efeito dominó, forçando uma série de compensações na marcação e derrubando cada peça da defesa corintiana até a finalização da jogada.

Veja o mapa de passes traçado pelo Espião Estatístico do ge:

Mapa de passes Flamengo Corinthians — Foto: Espião Estatístico

Precisão dos passes dos zagueiros do Flamengo

ZagueiroPasses certosTotal de passesAproveitamento
Gustavo Henrique646795%
Léo Pereira677194%

Em certo momento da transmissão, o comentarista Walter Casagrande Jr. resumiu a marcação do Corinthians: “Parece que chega sempre depois”. E isso acontecia justamente pela saída de bola limpa do Flamengo.

O contrário ocorria na defesa do Corinthians. O Flamengo foi cirúrgico em sua pressão, relembrando os melhores momentos daquela equipe de 2019. O primeiro gol saiu assim, quando Arão roubou a bola para Everton Ribeiro acertar belo chute. Tanto a zaga do Flamengo quanto a do Corinthians iniciavam os ataques rubro-negros. Assim foi construída a dominância do time de Renato Gaúcho.

Os números do Flamengo na vitória sobre o Corinthians

Posse de bola65%
Finalizações17
Precisão dos passes89%
Desarmes21

Colabora para tudo isso também um time visivelmente mais solto em campo. Entra outro mérito de Renato. O abraço carinhoso de Gustavo Henrique no técnico após o segundo gol é um símbolo. Jogadores pressionados estão com mais confiança para jogar, e isso só traz coisas boas para o Flamengo.

Apesar do gol sofrido no fim, o Flamengo segue em evolução. Não conseguiu outra goleada, muito porque se poupou visivelmente no segundo tempo. Mas o setor defensivo continua seguro e o ataque tem conseguido traduzir em gols a superioridade técnica e tática do time.

Agora, Renato terá uma semana cheia para treinar a equipe – um time alternativo, com o auxiliar Alexandre Mendes, viajará para a partida contra o ABC, pela Copa do Brasil. Será o primeiro período relevante para o técnico ajustar detalhes da equipe para os próximos desafios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: