Livre, leve e solto: enfim adaptado, Michel Araújo supera timidez para se tornar destaque do Fluminense

Quem te viu, quem te vê. Sete meses depois de sua tímida estreia com a camisa do Fluminense, Michel Araújo se tornou peça essencial do time de Odair Hellmann. No “sobe e desce do ge”, ranking feito com as notas das atuações no Campeonato Brasileiro, o meia uruguaio se isolou na liderança como o melhor jogador tricolor após a vitória por 1 a 0 sobre o Athletico-PR no último sábado, na Arena da Baixada. E alguns fatores ajudam a explicar a afirmação do gringo:

Michel Araújo vem se firmando como um dos principais jogadores do Fluminense em 2020 — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

Ambientação

A adaptação tardou, mas não falhou. Com só 23 anos e de origem bem humilde, Michel vive sua primeira experiência internacional e chegou muito tímido. Idioma, cultura, clima… Ao pegar uma temperatura de 4 ºC em Curitiba, chegou a brincar que estava com saudade do frio. Foi tudo diferente não só para ele, como também para sua esposa, Margarita, e do pequeno Lautaro, seu filho, que se mudaram juntos para o Rio de Janeiro.Nos treinos, teve como primeiro amigo o peruano Fernando Pacheco, uma aproximação natural pelo idioma em comum, o espanhol. Mas enquanto o companheiro se enturmou mais rápido com o grupo, o quietinho Michel foi quebrando essa barreira aos poucos. Primeiro nas entrevistas, cada vez mais frequentes e com menos nervosismo diante das câmeras. Nem parece mais aquele tímido jovem em seu “batismo” na concentração. Após a vitória no sábado, postou até foto com palavrão: “Vamos, c…”.

E também ao se aproximar mais de outros jogadores. Seja com Muriel, com quem tem a paixão pelo chimarrão em comum, ou com os brincalhões Nenê e Ganso. O camisa 10, inclusive, gravou um recado em vídeo para um dos irmãos do uruguaio nas redes sociais recentemente. Soltinho, Michel está cada vez mais à vontade no dia a dia do CT Carlos Castilho. E em casa também. O filho já começou a estudar por aqui, e nas folgas a família tem aproveitado para “turistar” pelo Rio.

Michel Araújo foi com a esposa e o filho conhecer Angra dos Reis na última folga — Foto: Divulgação

Nova função

Parte de sua adaptação também aconteceu dentro das quatro linhas. Michel costuma dizer que estava habituado a um estilo de jogo mais cadenciado no Uruguai, e ele sofreu para se acostumar diante da maior intensidade do futebol brasileiro, também em função de gramados melhores que permitem a bola correr mais. E algo que o ajudou foi uma mudança de função em campo.

Michel Araújo está aprendendo a marcar no futebol brasileiro — Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Michel chegou ao Fluminense como um meia-atacante, mas Odair e sua comissão técnica enxergou no uruguaio características para jogar como segundo ou terceiro homem de meio de campo, um pouco mais recuado e armando o jogo. Ele já brincou que está tendo que aprender também a marcar, o que lhe rendia críticas em seu país. Mas deu certo e abriu um leque de opções para a equipe. Hoje, ele tem atuado tanto na trinca de volantes quanto aberto como “ponta-direito”.

Odair enxergou no uruguaio características para fazer mais funções — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

– Realmente o Michel cresceu e evoluiu muito. Merecido porque trabalhou muito desde o primeiro dia, se adaptou realmente, passou por esse processo de adaptação, deu um salto. É um jogador polivalente, joga em muitas funções, aberto, por dentro… E nos dá muitas opções de montagem tática da equipe – elogiou Odair, que desde o início pediu paciência com o uruguaio.

Fator confiança

Todo jogador precisa de confiança para render, e tudo isso ajudou Michel a amadurecer. Mas nada se compara a um gol. E isso parece ter sido crucial para sua afirmação. No primeiro amistoso com o Botafogo antes do Campeonato Brasileiro, o uruguaio entrou no jogo garantiu a vitória por 1 a 0 em uma bela finalização de primeira da entrada da área.

Coincidência ou não, dali para frente ele cresceu em performance, virou titular e tem sido o principal articulador para produção ofensiva da equipe. Por enquanto, aquele gol continua sendo o único com a camisa tricolor, mas ele está cada vez mais ensaiando o segundo e chegou a estufar as redes duas vezes em lances anulados: um contra o Inter no Maracanã e outro diante do Athletico-PR na Arena da Baixada.

Uruguaio já estava com moral com a torcida antes da pandemia — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

Contratado por US$ 800 mil dólares (cerca de R$ 3,3 milhões) junto ao Racing-URU até o fim de 2023, Michel Araújo inverteu os papéis com Pacheco, que passou a ser escalado antes e fez gol primeiro, mas atualmente sequer vem entrando nos jogos. O Fluminense comprou 50% dos direitos econômicos do uruguaio e tem a opção de comprar mais 40% por US$ 1,2 milhão (R$ 6,7 milhões na cotação atual).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito