Lima, no Peru, retoma quarentena para conter novas infecções pelo coronavírus

O Peru tem uma das taxas de mortalidade de covid-19 por 100 mil habitantes mais altas do mundo — Foto: GETTY IMAGES/BBC

Lima, capital do Peru, retomou neste domingo (31) uma quarentena obrigatória para seus 10 milhões de habitantes para tentar conter uma nova onda da pandemia de coronavírus, que infectou 120 mil peruanos nos últimos 30 dias. Internados sofrem com a falta de oxigênio.

O confinamento, que deve durar até pelo menos 14 de fevereiro, inclui a cidade portuária de Callao, e outras oito regiões do litoral, planalto andino e selva amazônica que sofrem, desde o final de dezembro, o maior impacto da segunda onda de infecções.

“As medidas são duras (…), mas no momento são necessárias. Precisamos desses 15 dias [de confinamento]. Se cumprirmos, podemos reduzir o número de infecções”, disse a número dois do governo peruano, Violeta Bermúdez, ao canal RPP.

A quarentena obriga metade dos 33 milhões de peruanos a ficar em casa.

Familiares de pacientes com Covid-19 fazem fila para recarregar cilindros de oxigênio nos arredores de Arqeuipa, no Peru, em 23 de julho  — Foto: Diego Ramos/AFP

Familiares de pacientes com Covid-19 fazem fila para recarregar cilindros de oxigênio nos arredores de Arqeuipa, no Peru, em 23 de julho — Foto: Diego Ramos/AFP

As novas infecções triplicaram este mês, de uma média de 1.688 por dia na última semana de dezembro para 5.668 nesta semana, de acordo com dados oficiais.

O número de mortos passou de 51 por dia, em média, na última semana de dezembro, para 180 nesta semana. Os hospitais peruanos começam a saturar, com 11.715 infectados. Em meados de dezembro, eram 3.900.

Em janeiro, quase 120 mil pessoas no Peru contraíram Covid-19, o dobro de dezembro, de acordo com o balanço oficial, e a tendência continua aumentando.

O país andino acumula 1.133.022 infecções, desde o surgimento do vírus em março.

Dos pacientes internados, 1.859 permanecem em terapia intensiva com ventilação mecânica. A falta de oxigênio medicinal leva centenas de moradores de Lima a fazer fila de até 72 horas para comprar o produto.

 

Machu Picchu fechada

A partir deste domingo, os cassinos, estádios, igrejas, museus, sítios arqueológicos e a cidadela inca de Machu Picchu estarão fechados novamente. A educação não será afetada porque as escolas e universidades estão em período de férias.

Entre março e junho de 2020, o Peru passou por uma quarentena nacional de mais de 100 dias que mergulhou o país na recessão, onde 70% dos trabalhadores são informais.

Também conhecida como "cidade perdida" dos incas, Machu Picchu fica a 2.550 metros de altura dos Andes peruanos — Foto: BBC

Também conhecida como “cidade perdida” dos incas, Machu Picchu fica a 2.550 metros de altura dos Andes peruanos — Foto: BBC

Para reduzir o impacto econômico, desta vez o transporte público, a construção, a mineração, bancos e o comércio de bens essenciais como farmácias e mercados continuarão a operar nas regiões confinadas.

As viagens terrestres e aéreas interprovinciais estão proibidas, embora os voos internacionais continuem, com exceção dos do Brasil e da Europa.

Em 9 de fevereiro, chegará ao país o primeiro lote de um milhão de vacinas contra a Covid-19 da farmacêutica chinesa Sinopharm, testada entre 6.000 voluntários peruanos.

 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: