Líderes europeus pedem nova investigação sobre origem do coronavírus

Líderes da União Europeia pediram nesta 5ª feira (10.jun.2021) uma investigação completa sobre a origem do Sars-CoV-2, coronavírus responsável pela covid-19.

Os investigadores precisam de acesso completo ao que for necessário para realmente encontrar a origem desta pandemia”, declarou Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, em entrevista a jornalista em Bruxelas. Ela estava acompanhada do chefe do Conselho Europeu, Charles Michel.

Uma comissão da OMS (Organização Mundial da Saúde) esteve na China no começo do ano para averiguar a origem da pandemia. Estudo divulgado em março pela organização mostrou que a transmissão do vírus de morcego para humanos por meio de outro animal é o cenário mais provável. A investigação, no entanto, foi considerada “inconclusiva”.

Logo depois da divulgação do estudo, os Estados Unidos criticaram o relatório. O país argumentou que o documento expõe a falta de transparência nas investigações, uma vez que a missão não teve acesso a dados originais completos, nem a amostras do vírus.

O mundo tem o direito de saber exatamente o que aconteceu para poder aprender as lições”, afirmou Charles Michel.

Segundo a Reuters, União Europeia e Estados Unidos preparam uma declaração conjunta sobre o assunto, que deve ser divulgada na próxima semana. A reportagem teve acesso a um rascunho, que mostra que o bloco deve demonstrar apoio aos EUA no pedido por uma nova investigação “transparente e baseada em evidências”.

O presidente dos EUA, Joe Biden, pediu no fim de maio que a Comunidade de Inteligência norte-americana redobre os esforços para investigar as origens do coronavírus e solicitou um relatório com mais informações em 90 dias.

Entenda por que os EUA querem investigar origem do coronavírus nesta reportagem.

A teoria sobre o vazamento do vírus de um laboratório tem ganhado mais plausibilidade entre a comunidade científica nos últimos meses. Um grupo de cientistas publicou uma carta na revista Science pedindo uma nova investigação sobre a origem do vírus.

O jornal norte-americano Wall Street Journal noticiou que técnicos de laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan, cidade na qual a pandemia se originou, teriam ficado doentes e procurado ajuda hospitalar em novembro de 2019, antes do 1º caso de covid-19 ser confirmado.

Eis o que se sabe até agora:

  • os primeiros casos de covid-19 foram identificados na cidade de Wuhan em dezembro de 2019;
  • no começo de fevereiro de 2021, a OMS disse que a 1ª variante conhecida não surgiu no mercado de Wuhan, como se suspeitava desde o início da pandemia;
  • no fim do mesmo mês, a organização encontrou sinais de cepas do vírus que teriam circulado em Wuhan antes de dezembro de 2019;
  • investigação da OMS apontou que o cenário mais provável para a origem da pandemia é a transmissão do vírus para humanos por meio de outro animal;
  • o mesmo estudo considerou “improvável” a versão de que o vírus vazou de um laboratório chinês em Wuhan;
  • grupo de cientistas questionou a investigação da OMS e pediu uma pesquisa independente, com mais acesso a registros da China;
  • uma reportagem do Wall Street Journal relatou que técnicos de laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan teriam ficado doentes e procurado ajuda hospitalar em novembro de 2019, antes do 1º caso da doença ser confirmado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: