Liderança nas alturas: Inter marca quase metade dos gols com Abel Braga de bola aérea

O Inter começou a quebrar o jejum de 11 Gre-Nais sem vitória a partir de sua principal arma no último domingo: a bola aérea. O gol de cabeça de Abel Hernández aos 44 minutos do segundo tempo abriu caminho para a virada épica no Beira-Rio, mas a estratégia não é novidade. Pelo contrário. Em jogadas originadas pelo alto, o time de Abel Braga marcou quase metade dos gols desde que o técnico retornou ao clube.

Nas 12 partidas disputadas pelo Brasileirão sob a chefia de Abel, os gaúchos fizeram 23 gols. Destes, 10 saíram em jogadas originadas de bolas alçadas, de acordo com o Espião Estatístico do ge. O que representa 43% do total (veja todos os gols no fim do texto).

No domingo, foi o zagueiro Víctor Cuesta quem cruzou da esquerda para Abel Hernández, que correu por trás de Edenilson e completou de cabeça para deixar tudo igual no Beira-Rio. Segundo o técnico, era o momento do plano B.

– Eu pensei logo no plano B como planejamos. Por isso chamei o Abel. Queríamos marcar alto, mas o Grêmio nos empurrou para trás. Demos muita distância. Ficamos com o meio muito em cima da defesa. No segundo tempo, saímos um pouco mais, quando teve o gol. No plano B, era uma sequência natural se atirar – explicou o treinador.

Gol do Internacianal! Cuesta cruza na cabeça de Abel Hernández, que desloca Vanderlei. 44' do 2T.

Se diante do Grêmio a busca pelo empate precisava do “abafa”, nos outros jogos Abel orienta o time que aposte na jogada por cima. Moisés, por exemplo, ouviu do chefe a recomendação que aprimorasse a bola parada. Como resultado, deu assistências a Rodrigo Dourado e Cuesta.

A estatura do time também ajuda neste caso. Apenas Rodinei, Edenilson (ambos com 1,75m), Patrick (1,76m) e Caio Vidal (1,74m) têm menos de 1,80m no time titular. A média de altura é de 1,82m.

O reserva Abel Hernández também virou instrumento para mudar a forma de a equipe jogar. No embate contra o Ceará, algumas rodadas atrás, o Inter já vencia por 1 a 0, quando a estratégia entrou em cena.

O uruguaio foi colocado em campo justamente para utilizar seu 1,85m como arma. Assim se originou a jogada do segundo gol, com uma “casquinha” de Abel para Yuri Alberto sair cara a cara com o goleiro.

Abel Hernández supera marcação gremista e empata o clássico de cabeça — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Após a folga de segunda, o Inter volta aos trabalhos nesta terça-feira pela parte da tarde. Sem jogos no meio da semana, Abel Braga terá tempo para aprimorar ainda mais a virtude colorada. No domingo, o líder do Brasileirão recebe o Bragantino no Beira-Rio, às 18h15, pela 33ª rodada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: