fbpx

Justiça intima Flordelis para colocar tornozeleira em 48 horas

A deputada federal Flordelis foi intimada na noite desta terça-feira (06) a se apresentar na Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) para colocar a tornozeleira eletrônica em 48 horas.

Flordelis foi intimada às 19 horas, fora do horário do expediente do TJRJ, em sua casa na Região Oceânica de Niterói.

A decisão da juíza Nearis dos Santos Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, que determinou que a deputada usasse tornozeleira, acolheu a um pedido do Ministério Público.

Flordelis é acusada de ser mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado.

Carteira de visita cancelada

A 3ª Vara Criminal de Niterói determinou na última quinta-feira (01) que as visitas aos réus presos em torno das investigações do assassinato de Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis, sejam limitadas aos seus advogados e parentes que não sejam acusados pelo crime.

Com isso, fica proibida a visitação por amigos e terceiras pessoas. As unidades prisionais da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) deverão informar à Justiça a lista de pessoas credenciadas para visitar cada um deles.

Já havia, entre as medidas cautelares, a proibição de qualquer contato da deputada federal Flordelis com corréus, inclusive nas unidades prisionais em que se encontram. Mas a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, após informações trazidas aos autos pelo assistente de acusação, avaliou que houve desrespeito à determinação judicial por parte da parlamentar ao manter contato com os filhos presos através de Paula Neves Magalhães de Barros, que atua no gabinete da parlamentar em Brasília.

Na decisão, a magistrada determinou ao Detran e à SEAP o cancelamento da carteira de visitante concedida à Flordelis antes da ação penal. A magistrada oficiou ambos os órgãos a informar se foi expedida carteira de visitante de Paula Neves Magalhães Barros – e, caso positivo, que seja cancelado.

Flordelis é apontada pelo Ministério Público do Rio como a mandante da morte do marido, Anderson do Carmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: