Justiça da França condena homem que matou a família da irmã por acreditar que ela guardava barras de ouro escondidas dos nazistas

Imagem de 7 de julho de 2021 de Thierry Fillion e Patrick Larvor, advogados de Hubert Caouissin, o homem francês que matou a família da irmã — Foto: Sebastien Salim-Gomis / AFP
Imagem de 7 de julho de 2021 de Thierry Fillion e Patrick Larvor, advogados de Hubert Caouissin, o homem francês que matou a família da irmã 

O francês Hubert Caouissin, de 50 anos, foi condenado nesta quinta-feira (8) a 30 anos de prisão por ter matado a própria irmã, o cunhado e os dois filhos do casal. Ele também mutilou e escondeu os corpos.

Caouissin acreditava que a família da irmã tinha um “tesouro nazista” —na cabeça do criminoso, o cunhado conseguiu achar barras de ouro que o Banco da França teria escondido dos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial

Ele confessou os assassinatos. Os crimes ocorreram na casa da família, na cidade de Orvault, em fevereiro de 2017.

A namorada de Caouissin, Lydie Troadec, de 52 anos, foi condenada a três anos de prisão. Ela alterou a cena de um crime e recebeu um corpo de uma pessoa assassinada.

O advogado de Caoussin afirmou que seu cliente sofre de ilusão paranóica crônica.

Depois de matar a família da própria irmã com um pé de cabra, ele cortou os corpos como uma faca de cozinha (ele demorou três dias para fazer isso), em uma tentativa de esconder os cadáveres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: