Juíza que ensinou a burlar uso de máscara diz ao CNJ que mantém opinião

A juíza Ludmila Lins Grilo, da Vara Criminal da Infância e da Juventude de Unaí (MG), manifestou-se nessa 3ª feira (26.jan.2021) ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Ela afirmou que não oferecerá defesa no procedimento que apura sua conduta, ratificando todas as publicações contidas em suas redes sociais.

A magistrada fez diversas postagens criticando medidas de prevenção ao coronavírus, como o uso de máscara de proteção.

“Considerando que a necessidade de explicação de uma crítica irônica ao indiscriminado uso de máscaras, feito a partir de uma fiel descrição da realidade (restaurantes e shoppings abertos para consumo de alimentos no local), avilta e rebaixa a inteligência nacional –estado histérico de coisas com a qual esta magistrada não pretende contribuir– deixo de oferecer defesa no procedimento em questão, ratificando todas as publicações contidas em minhas redes sociais”, escreveu Ludmila em ofício.

Depois da repercussão das publicações de Ludmila, o advogado José Belga Assis Trad pediu ao CNJ a apuração da conduta da juíza. Segundo ele, a magistrada pode ter cometido “crime de apologia à infração de medida sanitária preventiva”.

“A juíza Ludmila Lins Grilo passou a defender aberta e entusiasticamente, na sua conta do Twitter, que possui um número expressivo de seguidores (mais de 130 mil), a aglomeração de pessoas nas praias e festas do litoral brasileiro”, disse Assis Trad.

Ludmila criticou o pedido, que foi negado pela corregedora nacional de Justiça, Maria Thereza de Assis Moura.

No ofício desta 3ª feira (26.jan), ela afirmou que continuará sustentando a inviabilidade jurídica das medidas restritivas adotadas para conter a transmissão do coronavírus.

“Ressalto ainda que, enquanto não decretado estado de defesa ou estado de sítio (arts 136 e 137 da Constituição Federal) – únicas hipóteses possíveis para restrição do direito de reunião (vulgo “aglomeração”, palavra-gatilho utilizada com sucesso para a interdição do debate) – continuarei sustentando a inviabilidade jurídica do lockdown e das restrições de liberdades via decretos municipais”, declarou.

POSTAGENS

Ludmila Lins Grilo tem 163,8 mil seguidores em seu perfil no Twitter e se manifesta com frequência contra as medidas de combate à covid-19.

No dia 4 de janeiro, um vídeo que contém orientações feitas por Ludmila sobre como andar em shoppings sem usar máscara viralizou.

“Passo a passo para andar sem máscara no shopping de forma legítima, sem ser admoestado e ainda posar de bondoso: 1- compre um sorvete; 2- pendure a máscara no pescoço ou na orelha, para afetar elevação moral; 3- caminhe naturalmente”, diz a mensagem que acompanha o vídeo.

Em outra postagem, de 1º de janeiro, ela publicou um vídeo que mostra a queima de fogos na noite de Ano Novo. No texto, usou a hashtag #AglomeraBrasil.

No dia 2 de janeiro, Ludmilla postou vídeo de pessoas caminhando em Búzios, no Rio de Janeiro. Segundo ela, a cidade “resiste à estupidez”.

 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: