fbpx

Jornalistas e comentarista analisam como Bruno Nazário e Weverton podem ajudar o Vasco

A cada dia uma cara nova surge nos treinos do Vasco. O clube vem passando por um processo de reformulação e já contratou dez jogadores. Os últimos foram Weverton e Bruno Nazário. O segundo ainda não foi anunciado oficialmente, mas já treina com elenco.

Weverton, de 22 anos, é lateral-direito e chega para disputar vaga com o experiente Léo Matos. Ele foi revelado pelo Cruzeiro e negociado, em 2020, com o Bragantino por cerca de R$ 5 milhões. Chega a São Januário por empréstimo até dezembro.

Bruno Nazário é mais experiente, tem 26 anos, e já rodou por clubes do Brasil e do exterior. Jogou no futebol carioca, entre 2020 e 2021, quando defendeu o Botafogo. Pertencia ao Hoffenheim, mas disputou o último Brasileiro pelo América-MG. Após rescindir com o clube alemão, acertou com Vasco.

Mas como a dupla pode se encaixar no time de Zé Ricardo e ajudar o Vasco em 2022? Bruno é meia ou pode atuar pelos lados dos campos? Quais são as características de Weverton? Ouvimos jornalistas que os acompanharam de perto nos últimos anos e o comentarista Alexandre Lozetti para analisar as duas contratações.

BRUNO NAZÁRIO

Bruno chega ao Vasco em um cenário em que o clube conta com alguns meias e poucos atacantes de lado. Além dele, Zé Ricardo tem Nenê e Isaque à disposição. Os dois são meias de origem, mas também podem jogar no ataque. O comentarista Alexandre Lozetti ressalta que Nazário já jogou em todas posições do meio para frente, mas aponta em qual região o reforço costuma render melhor.

– O Bruno já atuou em praticamente todas as posições do setor de criação: aberto dos dois lados – mais tempo pela direita na carreira -, centralizado como um 10 ou até mais adiantado, um centroavante de mobilidade. Seu melhor rendimento é como um meia que sai da ponta para o centro do campo, onde busca outros meio-campistas para ter superioridade no setor. Precisa estar mais próximo da área para finalizar e fazer mais gols – analisou Lozetti.

Nazário usou a 10 do Botafogo, começou bem no Carioca, mas caiu de rendimento no Brasileiro — Foto: Vitor Silva/Botafogo

O jornalista Thayuan Leiras, setorista do Botafogo que acompanhou Bruno entre 2020 e 2021, recorda que ele foi escalado algumas vezes pelo lado, mas não é um jogador com característica de velocidade, apesar de talentoso. O repórter, no entanto, acredita que Nazário pode ser útil ao Vasco na Série B.

– No Botafogo, ele jogou principalmente como camisa 10. Não necessariamente pelo meio, mas sempre responsável pela criação. Foi usado muitas vezes pelo lado direito, mas não tinha velocidade suficiente para ser ponta. Tem talento, mas faltou ser mais intenso e efetivo para se destacar em 2020. Para citar números, foram só duas assistências e um gol em 26 rodadas do Brasileirão daquele ano.

– O Bruno é um desses jogadores que ainda tentam sair do estigma de eterna promessa. Surgiu com grande potencial, foi vendido para a Europa, mas ainda busca uma grande temporada na carreira. No Botafogo, ele agradou no primeiro semestre, mas caiu de rendimento na reta final da temporada. Mas, quase ninguém se salvou naquele 2020/2021 trágico para o rival do Vasco. Se melhorar fisicamente e estiver em um time mais arrumado, pode ser útil na Série B – aposta Thayuan.

WEVERTON

Danilo Sardinha, setorista do Bragantino pelo ge, acompanhou de perto as duas últimas temporadas de Weverton. Ele apontou a velocidade e a ofensividade como principais características do novo lateral do Vasco, mas citou a falta de regularidade do jogador no futebol paulista.

– Weverton chegou ao Bragantino em 2020 como uma promessa para a lateral-direita. Nas duas temporadas em que atuou pelo Massa Bruta, foi uma opção no banco de reservas e não chegou a ameaçar a titularidade de Aderlan. Em dois anos, foram 34 jogos pelo Bragantino e um gol. É um lateral veloz, que apoia o ataque, mas que oscilou bem durante a passagem pelo Bragantino. Oscilação natural até pela idade, por ser jovem – relatou Danilo Sardinha.

Weverton tem 22 anos e chega para disputar posição com Léo Matos — Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino

O comentarista Alexandre Lozetti também elogia a velocidade e habilidade de Weverton e crê que o lateral possa amadurecer taticamente e ganhar competitividade na Série B.

– É um lateral-direito habilidoso e veloz, até por isso, neste momento da carreira, destaca-se mais no aspecto ofensivo. Precisa encontrar o equilíbrio, entender melhor o posicionamento da linha defensiva e se associar mais aos jogadores do setor quando tiver a bola. A Série B será ótima para deixá-lo mais competitivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: