Jogo falado (e tenso): a vitória do Flamengo com Arão auxiliar, Gabigol x Gerson e reclamações do Inter

Quando Gabigol marcou o gol da virada do Flamengo sobre o Internacional, correu na direção de Gerson. Foi com o camisa 8 que o atacante comemorou primeiro, pulando em cima do companheiro e festejando muito. Foi um ato simbólico, uma forma de “fazer as pazes” depois de uma rápida discussão na etapa inicial. Um exemplo da tensão que permeou os 90 minutos da “decisão” no Maracanã.

Sem público no estádio, é possível perceber com mais clareza as interações entre jogadores, dirigentes, treinadores e membros da arbitragem durante toda a partida. Tudo isso se amplificou numa partida tratada com o peso de uma final, com os dois primeiros colocados do Campeonato Brasileiro frente a frente na penúltima rodada do torneio.

Gabigol e Gerson comemoram juntos o gol da virada - dupla teve discussão no primeiro tempo — Foto: André Durão

A pressão de dirigentes na arbitragem tem sido algo recorrente no Brasileiro. No Flamengo, virou até questão de bastidor. Desde a goleada sofrida para o São Paulo na última rodada do turno, houve mudança: a diretoria visitante passou a ficar mais afastada do campo, enquanto os rubro-negros mantiveram seu posicionamento, mais próximo do gramado.

Isso, inclusive, foi alvo de reclamação de João Patrício Hermann, vice-presidente de futebol do Inter, que chamou o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, de mentiroso.

– Colocaram 60 pessoas atrás do banco, nos colocaram lá no canto, no fundo, o presidente do Flamengo mentiu para mim. Este é o ambiente aqui. Disseram que não poderiam nos colocar em outro lugar. Ele não mandou mensagem, ele mentiu olho no olho. Não deixaram ficar em outro lugar. Foram atitudes ‘varzeanas’ do Flamengo – reclamou Hermann.

Arbitragem no foco desde o início

– Começou a putaria!

Assim reagiu Landim ao pênalti marcado para o Inter, aos 10 minutos do primeiro tempo. A reclamação dos dirigentes do Flamengo foi unânime e, ao longo da etapa inicial, se estendeu ao que consideraram um rodízio de faltas de jogadores colorados em Gerson.

– Todo giro do Gerson é falta – reclamou Bruno Spindel, diretor de futebol.

Diego Alves (de amarelo), Thiago Maia e Michael acompanham jogo ao lado de dirigentes do Flamengo — Foto: Felipe Schmidt

A irritação chegou ao ponto de o volante Thiago Maia, que assistia à partida junto com os dirigentes, ironizar um jogador do Inter após nova falta:

– Se quiser eu pego uma (camisa) para ti no vestiário.

Árbitro da partida, Raphael Claus chegou a olhar algumas vezes com cara de poucos amigos para os dirigentes. Limitou-se, porém, a controlar as reclamações de Rogério Ceni. Do lado do Inter, deu uma bronca em Rodinei, que viraria protagonista do jogo no segundo tempo, ao ser expulso. Quando o lateral pediu uma marcação a favor do Inter, Claus rebateu:

– Para de tentar jogar para a galera, Rodinei – disse o árbitro.

No campo, entre os jogadores, o clima também era tenso – Rodrigo Dourado e Bruno Henrique discutiram após uma falta do atacante do Flamengo. Gabigol e Gerson também bateram boca. O camisa 9 reclamou porque queria um passe em profundidade, e o volante rebateu.

– A bola é no fundo, c… – disse Gabigol.

Da arquibancada vieram gritos para que os dois se concentrassem, e tudo se acalmou na sequência.

O auxiliar Arão

Rogério Ceni tinha um auxiliar de luxo: Willian Arão. Vetado devido a uma fratura no dedo do pé, o volante ficou no banco e, mesmo mancando, constantemente ia até o treinador para dar sugestões. Após o gol do Inter, levantou-se e procurou apoiar os companheiros.

No empate do Flamengo, Arão saiu, ora mancando, ora pulando, para comemorar com os companheiros. Aproveitou para dar instruções a Bruno Henrique e Arrascaeta.

Na arquibancada, Diego Alves, ao lado dos dirigentes, começou o jogo falante. Orientava os companheiros a todo momento, como se estivesse em campo, com dicas de posicionamento e de ações.

O gol de Arrascaeta acalmou os ânimos. Na comemoração, muitos elogios a Filipe Luis, que iniciou a jogada, e a Bruno Henrique, principal arma ofensiva do Flamengo no primeiro tempo. Ceni aproveitou para passar instruções também a Diego, que mostrava vontade na marcação e tentava incentivar o time:

– Vamos, Flamengo – gritou o camisa 10 numa disputa de bola.

Diego - Flamengo x Internacional, Brasileirão — Foto: André Durão

Rodinei é expulso, e Inter aumenta tom nas reclamações

A expulsão de Rodinei aos quatro minutos do segundo tempo condicionou todo o restante da partida. Logo após a saída do lateral, o goleiro Danilo Fernandes se exaltou enquanto ia para o aquecimento com os demais reservas, insinuando favorecimento ao Flamengo.

– Começou! Estava demorando. É contra tudo e contra todos – vociferou.

O goleiro reserva do Inter foi o que mais se manifestou ao longo do segundo tempo. Contestou praticamente todas as decisões da arbitragem e depois passou a questionar também a CBF. Em alguns momentos, batia palmas e ironizava:

– Valeu, CBF!

Jogadores do Inter reclamam após expulsão de Rodinei — Foto: Eduardo Deconto/ge.globo

O Flamengo teve ainda dois gols anulados, ambos marcados por Pedro. A cada checagem do VAR, jogadores do Inter reclamavam com o assistente de arbitragem. Lucas Ribeiro e Moisés foram os mais veementes. O lateral questionou a postura do bandeirinha após um lance de hesitação.

– Você ganha para isso!

Rodrigo Dourado, que saiu muito irritado do jogo, não se acalmou nem quando houve anulação do segundo gol de Pedro. Para o volante, o árbitro só desconsiderou o gol por causa da expulsão de Rodinei.

– Ele compensou!

Recuado, o Flamengo tentava definir o placar no contra-ataque, mas também se segurava na defesa. Até João Lucas, lateral-direito que entrou no segundo tempo, entrou no jogo de pressão. Após uma disputa de bola com Patrick, em que o volante pediu escanteio, o jogador rubro-negro reagiu rápido, de forma veemente e deu uma bronca no adversário.

No fim, com a vitória do Flamengo confirmada, mais reclamações do Inter. Afastados, os dirigentes do clube gaúcho direcionaram-se a Raphael Claus

– Que vergonha, Claus! Cagalhão de m…!

A vitória deixou o Flamengo na liderança do Campeonato Brasileiro. O time chega à última rodada com 71 pontos, contra 69 do Internacional. Uma vitória sobre o São Paulo garante o título da competição aos rubro-negros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: