‘Homem-aranha’ do crime: síndicos orientam moradores para fechar portas e janelas contra ladrão que escala prédio

Após diversos prédios serem alvos do “homem-aranha” do crime, nos últimos meses na Zona Norte do Rio, síndicos de condomínios de Vila Isabel, Tijuca, Grajaú, Maracanã e Andaraí estão orientando moradores a fecharem as portas das varandas para que o ladrão não consiga entrar nos apartamentos após escalar os edifícios. Ainda não identificado, o ladrão teria invadidio ao menos 20 residências nos últimos três meses. Na 20ª DP (Vila Isabel), delegacia da área, seis casos foram registrados. O último furto aconteceu na última quinta-feira na Rua Teodoro da Silva, em Vila Isabel. Dois apartamentos foram invadidos e foran furtados relógios, joias, computadores e outros pertences.

O engenheiro aposentado Neilson Campos Souza , 71 anos, é sindico de um dos locais onde o homem-aranha agiu na última semana. Ele escalou o edifício, que tem 15 andares, e levou tudo que viu pela frente. Por conta disso, Souza colocou um alerta nos elevadores orientando os moradores a trancarem varandas. Ele disse que vai reforçar a segurança do prédio.

Escreveu o síndico: “Na madrugada do dia 29/09, um ‘amigo do alheio’ adentrou aos apartamentos das varandas subtraindo pertences das respectivas famílias. Supostamente, os furtos foram praticados pelo meliante apelidado de homem-aranha, que ultimamente vem realizando furtos em prédio de Vila Isabel. Recomendamos que todos os moradores que mantenham fechadas, durante a madrugada, as portas da varanda e da sala dos apartamentos”, pediu o síndico.

Suspeito entrando em um prédio em Vila Isabel
Suspeito entrando em um prédio em Vila Isabel Foto: Reprodução

Campos Souza explicou como foi a invasão.

– Ele agiu aqui entre quarta e quinta passada. Entrou em dois apartamentos, no 4º e 6º andar, entre 4h e 5h, e levou tudo que viu pela frente. Relógios, joias, telefones e documentos das moradoras que estavam dentro de bolsas. Ele foi escalando pelas varandas e entrando. Sou síndico há 20 anos e tivemos um casso parecido aqui no prédio. Foi na década de 90. O cara entrou e foi até o 3º andar – conta o síndico.

De acordo com Souza, as duas moradoras do edifício registraram boletim de ocorrência e já prestaram depoimentos.

Em agosto, uma moradora do 9º andar um prédio na Rua Barão de São Francisco, também e, Vila Isabel, recebeu a visita do intruso. Ela diz que, por sorte ele não levou nada.

– Por ser um dia frio, a porta estava fechada. No dia seguinte, acordei e ela estava toda aberta e tinha marcas de pisadas no chão. Olha a minha casa e não notei a falta de nada. Quando ia descendo, a sindica estava aqui com a polícia e ela disse que esse criminoso havia entrado em três outros apartamentos: no 4º, 10º e 11º andar, respectivamente, e tinha levado vários pertences dos moradores. Não sei se ele estava com muitos objetos para descer ou se estava com pressa, mas ele nem notou que o meu computado estava na mesa – conta a médica de 64 anos.

Ela decidiu gradear a porta da sua varanda para evitar problemas futuros.

— Você nunca vai imaginar que uma pessoa vai entrar na sua casa dessa forma. Ele escalou essa altura toda. Após isso, não conseguia mais dormir e passei a trancar a porta de casa. Como proteção a mais, passei a colocar um cabo de vassoura atrás. Esse tipo de crime reflete a falta de segurança que estamos vivendo. Não tem policiamento na cidade — desabafou.

Segundo o delegado Fabio Luiz da Silva Souza, titular da 20ª DP (Vila Isabel), imagens de câmeras de segurança estão sendo analisadas para identificar o criminoso. O delegado disse que até agora apenas seis pessoas procuraram a distrital para registrar os furtos.

— A investigação já está bem avançada. Até agora, temos pelo menos seis casos registrados desse tipo de crime. Não sabemos se é a mesma pessoa, mas o crime é bem parecido. Ele escala, entra nos imóveis e leva o que vê pela frente. O último aconteceu na sexta-feira, na Rua Teodoro da Silva. Esses moradores já registraram o boletim de ocorrência. Nesses dois casos, ele levou computador e telefone — disse Silva Souza.

Procurada, a Polícia Militar informou que não atendeu ao furto cometido na Rua Teodoro da Silva. na última quinta. Ainda segundo a instituição, “as ações ostensivas do 6ºBPM (Tijuca) são feitas na região de Vila Isabel através de roteiros de patrulhamento. Até o mês de setembro de 2022, o batalhão efetuou 330 prisões em sua área de policiamento”.

Ainda de acordo com o comunicado, “os dados estatísticos do Instituto de Segurança Pública (ISP) demonstram que houve redução de 30% no indicador roubo a residência quando comparados os períodos de janeiro-agosto de 2022 e janeiro-agosto de 2021 na área de policiamento do 6ºBPM”.

Por fim, a PM pediu para que “a população colabore realizando denúncias — o telefone do Disque-Denúncia é (21) 2253-1177 — ou, para casos urgentes, faça o acionamento através da nossa Central 190 para que as medidas imediatas cabíveis possam ser tomadas. Os registros em delegacias da Polícia Civil também são essenciais para que procedimentos investigativos sejam iniciados”.

Em dezembro de 2000, apartamentos em Vila Isabel e Tijuca foram assaltados por homens que escalavam os edifícios. Os assaltantes roubaram dinheiro, relógios e telefones celulares. Todos os objetos estavam na sala dos apartamentos. Os outros cômodos não eram revirados.

No Rio, os primeiros casos de criminosos que escalavam prédios ocorreram na década de 1980. Em 82, Genival da Silva foi preso acusado de ter invadido vários edifícios da Zona Sul, utilizando essa técnica. Três anos depois, o assaltante Dejair Elias de Oliveira foi preso após escalar prédios em Vila Isabel, Tijuca, Lins e Grajaú, todos na Zona Norte do Rio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.