fbpx

Guarda Municipal do Rio vai abrir sindicância para investigar agente que matou PM em bar em Nilópolis

A Guarda Municipal do Rio disse que vai colaborar com as investigações da morte do policial Cristiano Loiola Valverde, que levou pelo menos 12 tiros do guarda municipal Max Aurélio da Costa Biassoto Ferreira na noite do domingo (8), em Nilópolis. Além disso, a corporação pretende abrir uma sindicância interna para apurar o caso.

No entanto, a Guarda Municipal não explicou por que Max Aurélio continuava na corporação mesmo com antecedentes criminais. A corporação disse apenas que ele passou 90 dias afastado, como punição por ter sido preso por porte de arma, seis anos atrás.

A Polícia Civil informou que Max Aurélio tinha duas passagens pela polícia: uma, em 2015, por porte ilegal de arma, e outra, em 2017, por desobediência, resistência e lesão corporal.

Já o PM Cristiano Loiola estava na corporação há sete anos e deixa uma filha.

Briga que terminou em morte

Imagens de um circuito interno de segurança mostram como aconteceu a confusão em um bar em Nilópolis, no domingo (8), que terminou com a morte do policial militar Cristiano Loiola Valverde.

De acordo com o horário das câmeras, passava das 22h quando duas mulheres começam uma briga depois que uma delas, dançando, esbarra na outra.

Uma é prima do policial militar Cristiano Loiola Valverde, e a outra estava no grupo de amigos do guarda municipal Max Aurélio da Costa Biassotto Ferreira.

Guarda atirou 12 vezes

A confusão fica generalizada e, no vídeo, dá para ver que o PM é empurrado pelo guarda. Logo depois, ele aponta a arma e o guarda tenta tomar a pistola. Os dois trocam socos, amigos tentam separar a confusão, mas às 22h25, o guarda municipal se aproxima e atira no PM.

Mesmo depois que o policial já está no chão, o guarda continua a fazer disparos. Max Aurélio atirou pelo menos 12 vezes em Cristiano Loiola e foi preso em flagrante.

O guarda municipal Max Aurélio da Costa Biassotto Ferreira foi preso em flagrante  — Foto: Reprodução/TV Globo

O guarda municipal Max Aurélio da Costa Biassotto Ferreira foi preso em flagrante 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: