GP do Japão de F1 2024: Verstappen vence em dobradinha da RBR

De volta ao topo: Max Verstappen venceu o GP do Japão de Fórmula 1 na madrugada deste domingo. O piloto holandês dominou o final de semana nos treinos e na classificação, onde conquistou a pole position. Na corrida, o tricampeão não teve dificuldades e sobrou no Circuito de Suzuka, onde a RBR conquistou uma dobradinha com Sergio Pérez na segunda colocação. Carlos Sainz ficou em terceiro e garantiu mais um pódio na temporada para a Ferrari.

Após abandonar o GP da Austrália por problemas no freio, Max Verstappen chegou ao Japão com sede de vitória. Ele liderou o TL1, não disputou o TL2 por conta da chuva e voltou a ter o melhor tempo no TL3. Na classificação, apenas Sergio Pérez chegou perto do holandês, mas não foi páreo para ganhar a pole position do companheiro de equipe. A corrida serviu para confirmar o favoritismo da RBR.

Quem também se destacou foi a Ferrari, que superou a McLaren de Lando Norris e garantiu o terceiro pódio de Carlos Sainz em três corridas disputadas pelo espanhol na temporada da Fórmula 1. Charles Leclerc, que largou em oitavo, ficou com a quarta colocação da corrida.

O resultado deste domingo mantém a RBR no topo do Mundial de Construtores e aumenta a diferença de Verstappen para os adversários. Sergio Pérez volta para a segunda colocação na tabela da Fórmula 1 e ultrapassa Charles Leclerc, que vê Carlos Sainz ainda mais próximo após o pódio no Japão e a vitória na Austrália.

Pódio do GP do Japão de F1 — Foto: Clive Rose - Formula 1/Formula 1 via Getty Images

Resultado

  1. Max Verstappen (RBR) 1m34s738
  2. Sergio Pérez (RBR) +12s535
  3. Carlos Sainz (Ferrari) +20s866
  4. Charles Leclerc (Ferrari) +26s522
  5. Lando Norris (McLaren) +29s700
  6. Fernando Alonso (Aston Martin) +44s272
  7. George Russell (Mercedes) +45s951
  8. Oscar Piastri (McLaren) +47s525
  9. Lewis Hamilton (Mercedes) +48s626
  10. Yuki Tsunoda (RB) +1 volta
  11. Nico Hulkenberg (Haas) +1 volta
  12. Lance Stroll (Aston Martin) +1 volta
  13. Kevin Magnussen (Haas) +1 volta
  14. Valtteri Bottas (Sauber) + 1 volta
  15. Esteban Ocon (Alpine) +1 volta
  16. Pierre Gasly (Alpine) +1 volta
  17. Logan Sargeant (Williams) +1 volta
  18. Guanyu Zhou (Sauber) ABANDONOU
  19. Daniel Ricciardo (RB) ABANDONOU
  20. Alex Albon (Williams) ABANDONOU

 

Resultado final do GP do Japão — Foto: F1

A F1 retorna daqui a duas semanas com o GP da China no Circuito Internacional de Xangai, em 21 de abril, válido como a 5ª etapa da temporada.

Momentos-chave

 

A largada

Em um circuito muito estreito, as dez primeiras colocações não mudaram nas duas primeiras curvas da corrida. A briga ficou na segunda metade do grid, mas durou pouco. Já na terceira curva, Alex Albon tentou ultrapassar Daniel Ricciardo, mas o piloto da RB se enroscou com o tailandês e levou os dois carros para o muro.

Daniel Ricciardo e Alex Albon colidiram na largada do GP do Japão — Foto: Clive Rose - Formula 1/Formula 1 via Getty Images

A bandeira vermelha permaneceu por 28 minutos enquanto os pilotos esperavam nos boxes. Alguns optaram por mudar a estratégia de pneus no retorno à pista. A Mercedes optou por usas compostos duros por conta do calor em Suzuka. O resultado imediato foi perder posições: Leclerc ultrapassou Hamilton, enquanto Tsunoda deixou Russell para trás.

Estratégia de pneus

O calor forte de Suzuka impactou nos pilotos que escolheram compostos macios e alguns que foram com pneus médios. Tsunoda e os dois carros da Sauber foram cedo para os boxes, e Alonso foi o único que resistiu com os pneus macios por mais voltas. Lando Norris, mesmo de médios, precisou trocar os pneus antes do esperado.

A McLaren optou por colocar pneus duros no carro de Lando Norris na primeira parada. Ele escalou o grid e não só recuperou a terceira posição como também ultrapassou Sergio Pérez, que largou em segundo e parou depois para repetir os compostos médios, obrigando o piloto mexicano a fazer mais uma parada nos boxes.

Quem não gostou da estratégia de colocar pneus duros já na bandeira vermelha foi Lewis Hamilton. O heptacampeão foi ultrapassado por diversos pilotos e, na volta 22, pediu para a Mercedes mudar o plano para o restante na prova. Na sequência, ele repetiu os compostos duros para mantê-los até o fim da corrida mas colocou os médios com treze voltas para a bandeira quadriculada em busca de ganhar posições.

Recuperação de Leclerc e pódio de Sainz

A classificação de Charles Leclerc impressionou pelo ritmo lento da Ferrari. Enquanto Carlos Sainz conquistou a quarta colocação, o monegasco ficou para trás e conseguiu apenas o oitavo melhor tempo para largar atrás dos principais adversários.

Em uma corrida de recuperação, ele adotou uma estratégia diferente dos adversários e conquistou um ótimo resultado. Leclerc começou com pneus médios e foi quem permaneceu na pista por mais tempo com eles. Ao todo, foram 25 voltas com os compostos iniciais, que renderam a possibilidade do piloto fazer apenas uma parada nos boxes.

De pneus duros, Charles Leclerc chegou a ficar na terceira colocação mas não conseguiu impedir Carlos Sainz, que deixou a McLaren de Lando Norris para trás. O espanhol chegou ao 20º pódio da carreira, o terceiro no ano em três corridas disputadas por ele, que venceu o GP da Austrália e ainda não tem vaga garantida na F1 para 2025.

Domínio da RBR

Após ficar de fora do pódio na Austrália por um abandono de Verstappen e a quinta colocação de Pérez, a RBR voltou às pistas para dominar os adversários. Durante o final de semana, os outros carros tiveram chance apenas no segundo treino livre, quando a equipe austríaca não foi à pista por conta da chuva em Suzuka.

Na corrida, a estratégia funcionou mesmo com duas entradas nos boxes para os pilotos. Verstappen e Pérez seguiram com o mesmo roteiro: largada com pneus médios, repetidos na primeira parada e compostos duros por fim. Eles não tiveram dificuldades de de ultrapassar os adversários e concluíram a dobradinha da RBR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *