Governo tinha plano de vacinar Bolsonaro para incentivar a população

Um plano de comunicação elaborado pelo governo federal para incentivar a vacinação contra a covid-19 contava com o presidente Jair Bolsonaro tomando a 1ª dose da vacina com ampla cobertura da imprensa. Eis a íntegra (894 KB).

O documento, obtido inicialmente pela ONG Repórter Brasil e publicado nessa 3ª feira (4.mai.2021), mostra que a estratégia previa ainda um evento com a primeira-dama Michelle Bolsonaro e o Zé Gotinha, símbolo das campanhas de vacinação no Brasil. As ações, no entanto, não saíram do papel.

O planejamento de comunicação é assinado pelo almirante Flávio Rocha, que comandou a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) de 11 de março a 14 de abril.

A ideia era aproveitar a transição de poder no Ministério da Saúde – do general Eduardo Pazuello para o cardiologista Marcelo Queiroga – e apresentar uma nova estratégia de comunicação no enfrentamento à pandemia.

Apesar do recrudescimento da crise sanitária, contudo, nenhuma das ações envolvendo o presidente foi executada até agora.

O plano previa a participação do ministro Marcelo Queiroga na live de Bolsonaro em 1º de abril, quando seria anunciado um mutirão de vacinação no feriado de Páscoa. Até hoje, porém, o ministro não participou de nenhuma transmissão com o presidente.

Na live daquele dia, Bolsonaro disse que não precisaria se vacinar por já ter contraído o vírus e que, por isso, estaria protegido. Aos 66 anos, o presidente poderia estar vacinado desde 3 de abril, segundo o cronograma do Distrito Federal.

Sem o engajamento do presidente, no entanto, apenas ações de menor impacto no plano foram executadas, como a mudança nos avatares dos ministérios nas redes sociais, destacando a campanha “Brasil Imunizado”, além da realização de coletivas de imprensa semanais com o novo ministro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: