Governadores cobram de Pazuello medidas restritivas de alcance nacional

O Fórum Nacional de Governadores enviou nesse domingo (14.mar.2021) um ofício ao ministro Eduardo Pazuello (Saúde) pedindo que o governo federal adote medidas de restrição em todo o território nacional para conter o avanço da pandemia. O grupo quer ainda que o Planalto regulamente com urgência a lei que autoriza Estados e municípios a comprarem vacina.

Os governadores dos entes federados brasileiros, ao considerarem a gravidade da pandemia que acomete todas as regiões do país, solicitam o apoio desse Ministério, visando à coordenação e adoção de medidas em âmbito federal, com o fito de conter o coronavírus e reduzir adoecimento, internações e óbitos de brasileiros”, lê-se no texto (íntegra – 386 KB).

Entre as medidas propostas pelos governadores está a alteração em regras de funcionamento de aeroportos, portos, rodovias e ferrovias, “com exceção das que possam afetar o funcionamento do transporte de carga e dos demais serviços federais que se afiguram como essenciais para a vida”.

O grupo argumenta que o apelo é urgente devido ao “atual contexto de agravamento” da pandemia no Brasil. A situação, de acordo com os governadores, “deve perdurar até maio, quando esperanças renovadas sobrevirão com o término da Fase 1 do Programa Nacional de Imunização, previsto para abril, garantindo, assim, os efeitos da vacina sobre o grupo de maior risco”.

Pelo menos 11.483.370 pessoas foram diagnosticadas com covid-19 e 278.229 morreram pela doença até as 17h desse domingo (14.mar.2021), no Brasil. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde.

São 1.127 vítimas a mais que o confirmado no sábado (14.mar.2021). É a 1ª vez em 4 dias que o número de mortos se afasta da casa de 2.000 casos diários. No entanto, aos fins de semana os dados tendem a ser menores. Isso porque alguns Estados têm dificuldade em atualizar as bases de dados fora dos dias úteis.

O ofício foi assinado pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), presidente do grupo. “O afastamento social é fundamental para quebrar o ciclo de transmissão do coronavírus e, consequentemente, reduzir contaminações, internações e mortes pela covid-19”, declarou Dias.

Tal iniciativa condiz com as diretrizes nacionais de vacinação e as providências adotadas por governadores e prefeitos, no contexto da universalização da aplicação das vacinas disponíveis no país”, dizem os governadores.

Eles querem que as doses adquiridas sejam entregues integralmente ao PNI (Plano Nacional de Imunização). O grupo pediu um encontro com representantes da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para tratar da autorização emergencial de novas vacinas contra a covid-19.

O consórcio dos Estados da Região Nordeste anunciou no sábado (13.mar) a compra de 37 milhões de doses da vacina russa contra covid-19 Sputnik V. Os contratos terão a participação do governo federal. Os imunizantes serão destinados ao SUS (Sistema Único de Saúde) pelo Plano Nacional de Imunização, e serão distribuídos em todo o país, a partir de abril.

O Estado do Rio de Janeiro autorizou a compra de 5 milhões de doses de vacina contra a covid-19. Ainda não há definição sobre qual imunizante será adquirido.

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), vai destinar até R$ 300 milhões para a operação. A definição do laboratório será feita de acordo com a possibilidade de entrega imediata das vacinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: