Governadores 2019-2022

GLADSON CAMELI
GOVERNADOR DO ACRE

Gladson de Lima Cameli é engenheiro, empresário e político brasileiro, filiado ao Partido Progressista (PP). Atualmente é governador pelo estado do Acre, eleito nas eleições gerais de 2018 no primeiro turno com 223 993 votos. Gladson Cameli, membro do Conselho Municipal da Juventude, filiou-se ao PFL durante (2000-2003) e ao PPS durante (2003-2005). Entretanto, iniciou sua trajetória política aos 28 anos como membro do PP, no qual se filiou em 2005, eleito pela primeira vez para o mandato de deputado federal (2007-2011) com 18.886 votos. Nas eleições de 2010, reelegeu-se como deputado (2011-2015) com mais de 30 mil votos. Em 2017, na data das eleições, Gladson alcançou a vitória para o cargo senador, com cerca de 218.756 votos.

RENAN FILHO
GOVERNADOR DE ALAGOAS

José Renan Vasconcelos Calheiros Filho é um economista e político brasileiro. Filiado ao MDB, é o atual Governador do Estado de Alagoas. Iniciou sua trajetória política em 2004, então com 25 anos de idade, ao eleger-se prefeito do município de Murici, na Zona da Mata Alagoana, conseguindo reeleger-se ao cargo em 2008. Em abril de 2010, deixou a prefeitura de Murici para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), sendo substituído por seu tio Remi Calheiros, ex-prefeito do município e, à época, seu vice. Nas eleições de outubro do mesmo ano, Renan foi eleito como o deputado federal mais votado no pleito com a soma de 140.180 votos.  Em outubro de 2014, foi eleito Governador de Alagoas pela primeira vez com a soma de 670.310 votos (52,16% dos votos válidos), tornando-se o mais jovem governador da história do Estado. Quatro anos depois, em outubro de 2018, conseguiu reeleger-se ao governo do Estado, angariando 1.001.053 votos

WALDEZ GÓES
GOVERNADOR DO AMAPÁ

Antônio Waldez Góes da Silva (Gurupá, 29 de outubro de 1961) é um político brasileiro filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Atualmente, Waldez Góes é o governador do Estado do Amapá. Filiou ao PDT em 1989 e disputou sua primeira eleição em 1990 para o cargo de deputado estadual. O político ganhou a primeira disputa e foi reeleito em 1995, também pelo partido. Em 1999, mudou-se para o Rio de Janeiro para colaborar na administração do então eleito governador no Rio, Anthony Garotinho. Já em 2002, Góes foi eleito governador do estado do Amapá, após a disputa no segundo turno com Dalva Figueiredo, do PT, e reeleito em 2006, no primeiro turno. Deixou o governo do estado no dia 4 de abril de 2010 para concorrer ao cargo de senador, deixando em seu lugar o vice-governador, Pedro Paulo Dias. Em 2014, o político foi eleito pela terceira ver ao cargo de governador, vencendo as eleições no segundo turno, com cerca de 220.256 eleitores, contra o candidato Camilo Capiberibe, do PSB. Reelegeu-se em 2018, obtendo cerca de 191.741 votos.

WILSON LIMA
GOVERNADOR DO AMAZONAS

Wilson Ferreira de Lima é um empresário e político do brasileiro. Estreou na política em 1990 concorrendo a deputado distrital pelo Partido do Solidarismo Libertador, sem lograr êxito. O mesmo ocorreu em 1994, quando era filiado ao PMN. Em 1998 elege-se pela primeira vez, então pelo PSD. Tenta a reeleição em 2002 mas obtém a suplência. Exerce eventualmente o mandato até 11 de agosto de 2004, quando assume o mandato em definitivo em razão da cassação do mandato do deputado Carlos Xavier. Em 2006 foi novamente eleito Deputado distrital.  Em meio a crise política e institucional que atingiu o governo do Distrito Federal ocasionadas pela Operação Caixa de Pandora em outubro de 2009, e a renúncia de Leonardo Prudente, então presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, foi eleito como novo presidente da Câmara em 2 de fevereiro de 2010. Em eleicão indireta realizada em 17 de abril de 2010, o advogado Rogério Rosso foi eleito governador do Distrito Federal para um "mandato-tampão", Rosso assumiu o cargo em 19 de abril de 2010, permanecendo até 1º de janeiro de 2011. Em seu lugar assumiu Agnelo Queiroz.

RUI COSTA
GOVERNADOR DA BAHIA

Rui Costa dos Santos é um economista e político brasileiro. Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), é o atual governador do estado da Bahia. Iniciou sua trajetória política no decorrer da década de 1980, quando participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) na Bahia, ao lado do ex-governador do estado Jacques Wagner. Em 2000, foi eleito pela primeira como vereador de Salvador, conseguindo reeleger-se ao cargo no ano de 2004. Nas eleições de 2010, Rui Costa concorreu ao cargo de deputado federal pelo PT e conseguiu ser eleito para a 54.ª legislatura com a soma de 212.157 votos. Nas eleições de 2014, Rui Costa candidatou-se ao governo da Bahia pelo PT, contando com o apoio do ex-governador Jacques Wagner, do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e da então presidente da República Dilma Rousseff, à época candidata a reeleição. Ainda no primeiro turno, Rui Costa foi eleito com 54,53% dos votos válidos. Nas eleições de 2018 na Bahia, Rui Costa foi novamente eleito governador do estado no primeiro turno com 75,71% dos votos válidos, derrotando José Ronaldo de Carvalho do Democratas (DEM).

HIBANEIS ROCHA
GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL

Ibaneis Rocha Barros Junior é um advogado e político brasileiro filiado ao MDB e atual Governador do Distrito Federal. Em 2018, candidatou-se ao cargo de governador do Distrito Federal e, alcançando 41,01% dos votos válidos (634.008 votos) no primeiro turno, seguiu para o segundo turno ao lado do então governador Rodrigo Rollemberg (PSB), que ficou em segundo lugar com 13,94% dos válidos (210.510 votos). Elegeu-se governador no segundo turno com a soma de 1.042.574 votos (69.79% dos votos válidos), derrotando Rollemberg que buscava a reeleição. Além disso, Ibaneis Rocha é o primeiro governador do Distrito Federal nascido no próprio distrito. 

CAMILO SANTANA
GOVERNADOR DO CEARÁ

Camilo Sobreira de Santana é um engenheiro agrônomo, professor e político brasileiro. Em 2018, Santana foi reeleito governador do Ceará pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Camilo Santana foi candidato à prefeito de Barbalha em 2000 e 2004, mas não obteve sucesso em nenhuma das candidaturas, dando espaço ao mandato de Edmundo de Sá Filho no ano de 2001, e alcançando o segundo lugar nas eleições de 2004, recebendo cerca de 9.925 votos. Em 2010, chegou ao posto de deputado estadual pelo Ceará, sendo o político mais votado do pleito, com cerca de 131.171 votos no Estado. Camilo Santana foi eleito governador do Ceará em 26 de outubro de 2014. Em 05 de agosto de 2018, Camilo Santana é homologado candidato a reeleição para o governo do estado do Ceará. Em 07 de outubro de 2018, o candidato foi reeleito com 79,96% (3.457.556 votos) Governador do Estado do Ceará, contra o seu principal adversário General Theophilo (PSDB), que obteve 488.438 votos, correspondente a 11,30% dos votos válidos.

RENATO CASAGRANDE
GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO

José Renato Casagrande é um engenheiro florestal, bacharel em Direito e político brasileiro. Casagrande iniciou sua trajetória no Partido Comunista do Brasil, passando também pelo PMDB e PSB durante a década de 1980. Além disso, adentrou no cargo de Secretário de Desenvolvimento Rural da Prefeitura Municipal de Castelo de 1984 a 1987. Filiado ao Partido Socialista Brasileiro, elegeu-se deputado estadual (1991-1994). Em 1994, foi indicado pelo partido para compor a chapa do Governo do Estado tornando-se vice-governador (1995-1999). Em 2006, elegeu-se senador com 62% dos votos válidos. No pleito de 2010, elegeu-se governador do Espírito Santo, vencendo já no primeiro turno com 82,30% dos votos válidos. Diante disso, renuncia ao mandato de senador e passa a gestão para sua suplente, Ana Rita Esgário. Em 2014, disputou a reeleição para o cargo de governador do Espírito Santo tendo como seu candidato a vice o então presidente da Câmara Municipal de Vitória Fabrício Gandini do PPS. Em 2015, o Conselho Curador da Fundação João Mangabeira (FJM) elegeu, por unanimidade, Renato Casagrande, como o seu novo presidente. Além disso, elegeu-se no primeiro turno em 2018, como governador do Espírito Santo, com cerca de 55% dos votos.

RONALDO CAIADO
GOVERNADOR DE GOIÁS

Ronaldo Ramos Caiado é um médico e político brasileiro. Filiado ao Democratas (DEM), é o atual governador do Estado de Goiás.

Formado em medicina e com especialização em ortopedia, Caiado é membro de uma família de produtores rurais com forte presença na política de Goiás desde meados do século XIX. Entre 1986 e 1989, presidiu a União Democrática Ruralista, entidade que visa defender interesses dos produtores rurais.

Na política, Caiado chegou a concorrer à Presidência da República no ano de 1989 mas obteve menos de 1% dos votos. Entre 1991 e 1995 e, entre 1999 e 2014, atuou como deputado federal por Goiás. Já entre 2015 e 2018, foi senador pelo mesmo Estado, recebendo o prêmio de melhor senador pelo Prêmio Congresso em Foco no primeiro ano do seu mandato, escolhido através de eleição popular nas redes sociais. Desde 2013, Caiado é líder do Democratas e um dos membros mais ativos da bancada ruralista do Congresso Nacional.

FLÁVIO DINO
GOVERNADOR DO MARANHÃO

Flávio Dino de Castro e Costa  é um advogado, político, professor e ex-magistrado brasileiro, filiado ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB). É professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o atual governador do Maranhão. No ano de 1994, foi aprovado em primeiro lugar em concurso para o cargo de juiz federal, que ele exerceu no Maranhão por 12 anos. De 2000 a 2002, presidiu a Associação Nacional de Juízes Federais (Ajufe). Posteriormente foi secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Abandonou a carreira da magistratura em 2006, aos seus 38 anos, pedindo exoneração para ingressar na vida política e se filiando ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Exerceu o seu primeiro mandato como político no cargo de deputado federal pelo Maranhão, sendo eleito em 2006. Nos anos de 2008 e 2010 candidatou-se a prefeito de São Luís e a Governador do Maranhão, respectivamente, sendo derrotado nas duas eleições por seus adversários João Castelo (PSDB) em 2008 e Roseana Sarney (PMDB) em 2010. Em 2011, assumiu a presidência da Embratur no então primeiro mandato da Presidente da República Dilma Rousseff (PT). Em 2014, foi eleito em 1º turno pelo eleitorado maranhense para o cargo de governador do estado, com 63,52 por cento dos votos válidos.  Nas eleições de 2018, Dino concorre à reeleição para governador, mais uma vez tendo a filha de José Sarney, Roseana como principal adversária e foi reeleito governador com pouco mais de 59% dos votos válidos.

MAURO MENDES
GOVERNADOR DO MATO GROSSO

Mauro Mendes Ferreira é um empresário e político brasileiro filiado ao Democratas. Presidiu a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt) e foi presidente do Sistema Sesi/Senai entre os anos de 2007 e 2010. O político exerceu a função de prefeito de Cuiabá no mandato de 2013 à 2016 e é o atual governador do Mato Grosso.  Eleito em 2012, venceu o pleito em segundo turno com 169.688 votos (54,65%). Durante o mandato, a administração do prefeito foi aprovada por aproximadamente 80% da população cuiabana, sendo considerado um dos melhores prefeitos da capital.  Entre os anos de 2013 e 2015, Mauro Mendes assumiu a presidência do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em um momento de tensão interna. 

No início de 2018, Mauro deixou o PSB e ingressou no Democratas como pré-candidato ao governo do Estado ou Senado Federal. No mesmo ano, elegeu-se governador do Mato Grosso pelo primeiro turno das eleições, com 58,7% dos votos, vencendo o tucano Pedro Taques que tentava a reeleição e terminou em terceiro lugar.

REINALDO AZAMBUJA
GOVERNADOR DO MATO GROSSO DO SUL

Reinaldo Azambuja Silva é um agropecuarista e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). É o atual governador do estado de Mato Grosso do Sul. 

Filiado ao PSDB, elegeu-se prefeito de Maracaju em 1996, concorrendo com Germano Francisco Bellan (PDT) e Luiz Gonzaga Prata Braga (PTB). Reinaldo se elegeu para seu primeiro mandato em Maracaju com 44,03% dos votos válidos. Reinaldo também foi reeleito em 2000 com 61,61% do eleitorado, contra Albert Cruz Kuendig (PT), e sucedido em 2005 por seu primo, Maurílio Azambuja (PFL). Além disso, durante este período também presidiu a Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul).

Em 2006, elegeu-se deputado estadual e obteve a maior votação da história de Mato Grosso do Sul, atingindo cerca de 47.772 votos. Nas disputas de 2010, elegeu-se deputado federal pela coligação Amor, Trabalho e Fé, com cerca de 122.213 votos válidos.

Candidatou-se à Prefeitura de Campo Grande em 2012, obtendo 113.629 votos no primeiro turno, equivalente a 25,43% dos votos válidos, mas perdeu a disputa para o segundo turno, que aconteceu entre os candidatos Giroto, do PMDB, e Alcides Bernal, do PP, tendo este último saído como vencedor na disputa pelo cargo.

ROMEU ZEMA
GOVERNADOR DE MINAS GERAIS

Romeu Zema Neto é um empresário e político brasileiro, filiado ao Partido Novo e ex-presidente do Conselho de Administração do Grupo Zema, desde o final de 2016. É o atual governador de Minas Gerais.

No dia 7 de outubro de 2018, foi realizado o primeiro turno das eleições gerais no Brasil, e Romeu Zema alcançou a marca de 42,73% dos votos válidos contra 29,06% de Antonio Anastasia e 23,12% de Fernando Pimentel.

No segundo turno das eleições, recebeu o apoio de João Batista dos Mares Guia (REDE). O PSL, partido do candidato presidenciável Jair Bolsonaro, decidiu não apoiar a candidatura de Romeu Zema em Minas. Após ser questionado sobre a aceitação do apoio do governador Fernando Pimentel, Zema afirmou, inicialmente, que não recusaria o apoio do governador derrotado desde que não pedisse secretarias em troca. Nas redes sociais, Antônio Anastasia criticou a posição de Zema afirmando que ele "queria o PT do lado dele", mesmo o candidato do Partido dos Trabalhadores não fazendo parte do segundo turno da eleição. Nas redes sociais, Romeu Zema afirmou que o vídeo de Anatasia seria fake news e que ele não faria um acordo com o PT. Mais tarde, Pimentel e seu partido declararam neutralidade no segundo turno.

Zema foi eleito no segundo turno das eleições de 2018 como 39° Governador do Estado de Minas Gerais, sendo impulsionado pela busca da renovação na política e pelo movimento anti-petismo, misturado ao crescimento de Bolsonaro nas eleições de 2018. Alguns analistas destacam que a eleição de Zema é fruto de um desgaste político polarizado entre PT e PSDB, responsáveis pelo Estado nos últimos 16 anos. Nesse sentido, Romeu teria aproveitado a onda de renovação e a vontade de mudança da população perante as crises econômicas do período.

HELDER BARBALHO
GOVERNADOR DO PARÁ

Helder Zahluth Barbalho é um administrador e político brasileiro. Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), é o atual governador do Pará. Helder iniciou sua trajetória política aos dezoito anos de idade, quando filiou-se ao PMDB em 1997, presidindo a juventude do partido no Pará e atuando como secretário-geral da Juventude Nacional do partido. Apenas três anos depois, no ano de 2000, candidatou-se ao cargo para vereador do município de Ananindeua, no Pará, e venceu o pleito elegendo-se como o candidato mais votado da cidade, com a soma de 4.296 votos.  Em 2002, Helder elegeu-se como deputado estadual do Pará com a soma de 68.474 votos, tornando-se também o deputado mais votado para o cargo. Em 2005, Helder assumiu a prefeitura do município Ananindeua, tornando-se aos 25 anos de idade o prefeito mais jovem da história do Pará. Ainda no exercício da atividade executiva, em 2007, Helder destacou-se por assumir a presidência da Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará (FAMEP), sendo novamente eleito por unanimidade em 2009 para continuar à frente da entidade, presidindo-a até abril de 2014. Em 2018, Helder candidatou-se novamente ao governo do estado do Pará pela coligação O Pará daqui pra frente, composta por MDB, PR, PSC, PSD, PP, PTB, PROS, PTC, PSL, PHS, PRB, PMB, DC, Patriota, Podemos e Avante. O deputado federal Lúcio Vale foi seu candidato a vice-governador. Somando 2.068.319 votos (55,43%), Helder venceu Márcio Miranda (DEM) no segundo turno.

JOÃO AZEVEDO
GOVERNADOR DA PARAÍBA

João Azevêdo Lins Filho é um engenheiro civil e político brasileiro filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). É o atual governador do estado da Paraíba, eleito no primeiro turno das eleições estaduais ocorridas em 7 de outubro de 2018. No ano de 2011, João Azevêdo foi nomeado pelo então governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, como Secretário Estadual do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Ciência e Tecnologia. Já em 2015, quando houve a fusão desta pasta administrativa com a Secretaria de Infraestrutura, passou a exercer o cargo de Secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia (SEIRHMACT), permanecendo no cargo até 5 de abril de 2018. Em abril de 2018, João Azevêdo deixou a SEIRHMACT para concorrer ao cargo de governador do Estado, tendo sua candidatura confirmada na convenção estadual do PSB em agosto do mesmo ano. Nas eleições de outubro, foi eleito governador do estado da Paraíba já no 1º turno com o apoio do então governador Ricardo Coutinho, tendo recebido 1.119.758 votos, correspondente a 58,18% dos votos válidos, derrotando antigas lideranças paraibanas formadas pelos ex-governadores José Maranhão e Cássio Cunha Lima, que deram seu apoio a Lucélio Cartaxo do Partido Verde.

RATINHO JÚNIOR
GOVERNADOR DO PARANÁ

Carlos Roberto Massa Júnior, mais conhecido como Ratinho Júnior, é um empresário, comunicador e político brasileiro filiado Partido Social Democrático (PSD). Foi deputado estadual, deputado federal e atualmente é governador do estado do Paraná. Ratinho Júnior iniciou sua trajetória política aos 21 anos de idade, quando candidatou-se ao cargo de deputado estadual pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em outubro de 2002. Em 2006, candidatou-se ao pleito para deputado federal pelo PPS, elegendo-se para a 53.ª legislatura como a segunda maior votação do estado com a soma de 205.286 votos. Logo após ser eleito, mudou sua filiação para o Partido Social Cristão (PSC), tornando-se presidente do diretório estadual do partido e ocupando a vice-presidência da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática.  Após as eleições municipais de 2012, período que ficou licenciado, retornou à Câmara Federal, ficou no cargo até janeiro de 2013, quando licenciou-se novamente para assumir a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná (SEDU) na gestão Beto Richa. Nas eleições de 2014, Ratinho Júnior foi novamente eleito deputado estadual pelo estado do Paraná com a candidatura mais votada em todo o Brasil, contabilizando mais de 300 mil votos. Na convenção realizada pelo Partido Social Democrático (PSD) em 21 de julho de 2018, Ratinho Júnior foi confirmado como candidato ao governo do Paraná pela coligação Paraná Inovador. Com a soma de 3.210.712 votos (59,99% dos válidos), Ratinho Júnior foi eleito governador do estado do Paraná ao lado do vice Darci Piana, ainda no primeiro turno das eleições. Já no primeiro dia do mandato, nomeou os 15 secretários de Estado a comporem a sua gestão.

PAULO CÂMARA
GOVERNADOR DE PERNAMBUCO

Paulo Henrique Saraiva Câmara é um economista e político brasileiro. É o atual governador do estado de Pernambuco. Paulo Câmara sempre foi servidor público. Aos 20 anos foi escriturário concursado do Banco do Brasil, em Ribeirão, na Zona da Mata. Em 1995, foi para o Tribunal de Contas do Estado, onde exerceu o cargo de auditor das contas públicas; foi secretário de Administração do Tribunal de Justiça de Pernambuco (2003), supervisor Parlamentar da Câmara de Vereadores do Recife (2005) e, a partir de 2007, fez parte da gestão do governador Eduardo Campos. 

Paulo Câmara foi empossado no cargo de governador em 1º de janeiro de 2015.

Em 2016 enquanto estava a frente do executivo estadual entrou em uma polêmica ao nomear os filhos do ex-governador Eduardo Campos, a cargos na prefeitura e governo do estado. João Campos, que tinha então 22 anos foi indicado como chefe de Gabinete do governador, a mesma função que o pai ocupou no segundo governo de Miguel Arraes (1987-1990). A classe artística do estado organizou protestos contra a indicação, afirmando que Paulo Câmara estava reproduzindo os "padrões antigos da política Nordestina".

Foi reeleito governador do estado de Pernambuco nas eleições de 2018.

WELLINGTON DIAS
GOVERNADOR DO PIAUÍ

José Wellington Barroso de Araújo Dias é um bancário, escritor e político brasileiro filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Cumpre seu quarto mandato como Governador do Estado do Piauí, eleito em 2014 e reeleito em 2018, depois de ter exercido o cargo entre 2003 e 2010. Detentor de carreira política clássica, dentro de uma década foi eleito vereador, deputado estadual, deputado federal e governador. No ano de 2010, foi o senador mais votado totalizando quase 1 milhão de votos.  Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) desde os 23 anos de idade, Wellington Dias iniciou sua trajetória política em 1992 quando foi eleito vereador de Teresina. Em 1994, optou por renunciar ao mandato municipal para concorrer a um cargo na Assembleia Legislativa do Piauí, conseguindo eleger-se deputado estadual e tornando-se o primeiro presidente da Comissão de Direitos Humanos no legislativo do estado. Nas eleições estaduais de 1998, foi eleito deputado federal pelo PT sendo o primeiro parlamentar do estado eleito pelo partido. Em 2002, foi eleito em primeiro turno para o cargo de governador do Piauí pela coligação A Vitória que o Povo Quer, derrotou o então governador Hugo Napoleão que disputava a reeleição. Em 2006, Wellington Dias foi candidato à reeleição ao Governo do Estado e conseguiu vencer o pleito ainda no primeiro turno contra seu principal adversário e ex-aliado, o então senador Mão Santa. Nas eleições de 2010, Wellington Dias foi eleito senador do estado do Piauí ao lado de Ciro Nogueira do Progressistas (PP) com a soma de 997.513 votos. Em 2014, foi eleito para o seu terceiro mandato como governador do Piauí, reelegendo-se em 2018 para o 4º mandato como governador do estado com 55,6% dos votos válidos. 

WILSON WITZEL
GOVERNADOR DO RIO DE JANEIRO

Wilson José Witzel é um advogado, ex-juiz federal, atual governador do Rio de Janeiro filiado ao Partido Social Cristão (PSC). No dia 7 de outubro de 2018, no primeiro turno das eleições gerais no Brasil, Wilson Witzel alcançou a marca de 41,28% dos votos válidos (3.154.771 votos) ficando em primeiro lugar; contra 19,56% votos válidos (1.494.831 votos) de Eduardo Paes, do DEM, ex-prefeito do Rio de Janeiro, com ambos indo para o segundo turno;  Wilson atuou por dezessete anos em varas cíveis e criminais. Foi juiz titular da 6ª Vara Federal Cível até 2 de março de 2018, quando pediu exoneração para se filiar ao Partido Social Cristão (PSC) com a pretensão de disputar as eleições de 2018 como candidato a governador do Rio de Janeiro.  No dia 7 de outubro de 2018, no primeiro turno das eleições gerais no Brasil, Wilson Witzel alcançou a marca de 41,28% dos votos válidos (3.154.771 votos) ficando em primeiro lugar; contra 19,56% votos válidos (1.494.831 votos) de Eduardo Paes, do DEM, ex-prefeito do Rio de Janeiro, com ambos indo para o segundo turno;  Wilson Witzel oficialmente tomou posse como governador do estado do Rio de Janeiro na manhã do dia 1º de janeiro de 2019 no Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Entretanto, devido à posse de Jair Bolsonaro como presidente do Brasil no mesmo dia, a cerimônia foi adiada para o dia 2 de janeiro de 2019. 

FÁTIMA BEZERRA
GOVERNADORA DO RIO GRANDE DO NORTE

Maria de Fátima Bezerra é uma pedagoga e política brasileira. Filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT), é 56ª e atual governadora do Rio Grande do Norte. Filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT) desde 1981, Fátima Bezerra elegeu-se deputada estadual do Rio Grande do Norte por dois mandatos: em 1994, com 8.347 votos; e em 1998, com 30.697 votos. No ano de 2002, Fátima Bezerra candidatou-se ao cargo de deputada federal pelo Rio Grande do Norte e conseguiu eleger-se com a melhor votação de seu estado, alcançando a soma de 161.875 votos. Em 2006, foi reeleita com 116.243 votos e, em 2010, com 220.355 votos, ano em que obteve a quinta melhor votação proporcional do país, além de ter alcançado a maior votação que um deputado já recebeu no Rio Grande do Norte. Em 2014, candidatou-se ao cargo de senadora pelo Rio Grande do Norte na chapa que apoiava Robinson Faria do PSD para governador. Vencendo a ex-governadora Wilma de Faria do PSB, Fátima Bezerra conseguiu eleger-se com a soma de 808.055 votos. Nas eleições estaduais de 2018, Fátima Bezerra candidatou-se ao governo do Rio Grande do Norte pela coligação Do Lado Certo composta pelo PT, PC do B e PHS, tendo como vice o advogado Antenor Roberto. 

EDUARDO LEITE
GOVERNADOR DO RIO GRANDE DO SUL

Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite  é um bacharel em Direito e político brasileiro. Filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), é o atual governador do Rio Grande do Sul. Anteriormente, foi prefeito de Pelotas de 2013 a 2017. Em 2001, Leite filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Na eleição de 2004, concorreu a vereador de Pelotas, obtendo 2 937 votos, resultado que lhe classificou como primeiro suplente. Posteriormente, convidado pelo prefeito Bernardo de Souza, presidiu o Conselho de Assistência Social e trabalhou como assessor e secretário interino da Secretaria Municipal de Cidadania. Em 28 de outubro de 2012, elegeu-se prefeito com 110 823 votos (57,15%). Em 1º de janeiro de 2013, Leite assumiu o cargo em uma cerimônia realizada na Praça Coronel Pedro Osório, tornado-se o prefeito mais jovem da história de Pelotas. Em 2017, Leite morou cinco meses nos Estados Unidos para estudar Gestão Publica na Universidade de Colúmbia. De volta ao Brasil, foi um dos onze jovens escolhidos para um encontro com o ex-presidente Barack Obama. Em novembro de 2017, foi eleito presidente do PSDB gaúcho em uma convenção realizada pelo partido. 

MARCOS ROCHA
GOVERNADOR DE RONDÔNIA

Marcos José Rocha dos Santos, também conhecido como Coronel Marcos Rocha, é um administrador, policial militar e político brasileiro. Filiado ao Partido Social Liberal (PSL), é o atual governador do estado de Rondônia. Policial Militar reformado, Marcos Rocha estreou na política ao candidatar-se ao governo do estado de Rondônia pelo Partido Social Liberal (PSL) em 2018, tendo como vice o empresário Zé Jodan que foi candidato à prefeitura de Rolim de Moura em 2016 e chegou a ser o pré-candidato ao governo de estado. Nas pesquisas, Marcos Rocha aparecia atrás de Expedito Júnior do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), do senador Acir Gurgacz do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e de Maurão de Carvalho do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), estando apenas com 8% das intenções de voto na última pesquisa anterior à eleição. No dia 7 de outubro de 2018, primeiro turno das eleições gerais no Brasil, Marcos Rocha alcançou a soma de 183.691 votos (23,99% dos votos válidos), contra 241.885 votos (31,59% dos votos válidos) de Expedito Júnior e 173.690 votos (22,69% dos votos válidos) de Maurão de Carvalho, indo para o segundo turno pelo governo de Rondônia. Já no segundo turno, Marcos Rocha venceu o candidato do PSDB ao angariar 530.188 votos, o equivalente a 66,34% dos votos válidos, e elegeu-se governador do estado de Rondônia.

ANTONIO DENARIUM
GOVERNADOR DE RORAIMA

Antonio Oliverio Garcia de Almeida, mais conhecido como Antonio Denarium, é um empresário e político brasileiro. O político foi eleito governador do estado de Roraima pelo Partido Social Liberal no segundo turno das eleições de 2018. No mesmo ano, nomeado pelo presidente Michel Temer, assume a responsabilidade de interventor federal no estado, passando a exercer todas as funções do cargo de governador. A posse do cargo oficial de governador do Estado ocorreu no dia 1º de janeiro de 2019. Denarium estreou na política em 2010, como candidato pelo Partido Popular Socialista (PPS), sendo primeiro suplente de Marluce Pinto (PSDB). m 2018, filiado ao Partido Social Liberal (PSL), Denarium se candidatou ao governo de Roraima pela coligação Agora é Roraima com tudo, tendo como vice o médico Frutuoso Lins, do PTC. Em 28 de outubro, elegeu-se governador com 53,3% dos votos válidos.  Já em 2018, declarou ao mesmo tribunal a posse de um patrimônio de R$ 15 milhões. Aliado de Jair Bolsonaro durante a campanha, o político defendeu o fechamento da fronteira com a Venezuela como forma de conter a crise imigratória, atribuindo aos venezuelanos a responsabilidade pelos casos de violência. Em decorrência, as situações conflituosas na fronteira têm sobrecarregado a assistência de saúde do Estado, que decretou estado de calamidade pública na saúde em fevereiro de 2019. A intenção de Denarium com o alarme seria agilizar a compra de materiais necessários aos procedimentos médicos e remédios.

CARLOS MOISÉS
GOVERNADOR DE SANTA CATARINA

Carlos Moisés da Silva, mais conhecido como Comandante Moisés, é um advogado, bombeiro militar e político brasileiro, filiado ao PSL e atual Governador de Santa Catarina. Com mais de 30 anos no Corpo de Bombeiros, filiou-se ao PSL em 2018, iniciando como tesoureiro do partido e, logo depois, lançando-se como candidato ao governo de Santa Catarina, junto com a candidata à vice-governadora Daniela Reinehr, advogada, também pelo PSL. Na última pesquisa do IBOPE antes da eleição, registrou 12% dos votos válidos, atrás de Mauro Mariani, Gelson Merisio e Décio Lima, que obteram 31%, 29% e 23%, respectivamente. No dia 7 de outubro de 2018 foi realizado o primeiro turno das eleições gerais no Brasil, e o Comandante Moisés alcançou a marca de 29,72% dos votos válidos contra 31,12% de Gelson Merisio e 23,21% de Mauro Mariani, indo ao segundo turno pelo governo de Santa Catarina. No dia 28 de outubro de 2018, Moisés venceu o candidato Gelson Merísio, obtendo 71,09% (2 644 179) dos votos válidos, elegendo-se governador do Estado de Santa Catarina.

JOÃO DORIA
GOVERNADOR DE SÃO PAULO

João Agripino da Costa Doria Junior, mais conhecido como João Doria, é um empresário, jornalista, publicitário e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) desde 2001, que é o atual Governador de São Paulo.  sua jornada no mundo jornalístico televisivo. Em pouco tempo assumiu o mesmo cargo na Rede Bandeirantes, voltou à Tupi, retornou à Band e, poucos anos depois, com a bagagem adquirida nas emissoras de televisão, tornou-se diretor na MPM, nesse tempo a maior agência de propaganda do país. Por essa mesma época, formou-se em jornalismo e publicidade na FAAP, aos 21 anos, e fez vários cursos de gestão empresarial. Em 2001, Doria filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), partido fundado em 1988 e com o qual afirma sempre ter tido identificação ideológica e política.

Doria foi eleito prefeito de São Paulo no primeiro turno em eleição histórica. Pela primeira vez não houve segundo turno na cidade de São Paulo. Doria venceu em quase todas as zonas eleitorais da capital, sendo exceções a Cidade Dutra e Parelheiros, nas quais Marta Suplicy venceu.  Em 12 de março de 2018, Doria anunciou que iria renunciar ao cargo de prefeito para disputar o governo do Estado de São Paulo na eleição estadual de 2018, rompendo assim uma promessa firmada na campanha municipal de 2016. Em 18 de março, Doria venceu com 80 por cento dos votos a eleição interna do PSDB ao governo paulista, derrotando Luiz Felipe d'Avila, Floriano Pesaro e José Aníbal. Tomou posse em 1 de janeiro de 2019, em solenidade na Assembleia Legislativa de São Paulo.

BELIVALDO CHAGAS
GOVERNADOR DE SERGIPE

Belivaldo Chagas disputou sua primeira eleição na década de 1980, quando concorreu ao cargo de vereador no município de Simão Dias. Porém, foi em 1990 que Chagas ocupou seu primeiro cargo público ao eleger-se deputado estadual, mantendo-se na Assembleia Legislativa de Sergipe por mais três legislaturas. Belivaldo Chagas disputou sua primeira eleição na década de 1980, quando concorreu ao cargo de vereador no município de Simão Dias. Porém, foi em 1990 que Chagas ocupou seu primeiro cargo público ao eleger-se deputado estadual, mantendo-se na Assembleia Legislativa de Sergipe por mais três legislaturas. Em 2006, foi eleito pela primeira vez vice-governador de Sergipe no governo de Marcelo Déda do Partido dos Trabalhadores (PT), falecido em 2013. Em 2014, assumiu o cargo pela segunda vez ao lado de Jackson Barreto do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e, em 07 de abril de 2018, assumiu como Governador do Estado após a renúncia de Jackson Barreto que deixou o cargo para disputar uma vaga no Senado Federal.  Já em outubro de 2018, foi reeleito Governador do Estado de Sergipe no segundo turno com a soma de 679.051 votos, derrotando o deputado federal Valadares Filho do (Partido Socialista Brasileiro) (PSB), com 370.161 votos.

MAURO CARLESSE
GOVERNADOR DE TOCANTIS

Mauro Carlesse, é um político, empresário e agropecuarista brasileiro filiado ao Democratas (DEM). Foi candidato à prefeitura de Gurupi nas eleições de 2012, elegeu-se deputado estadual nas eleições de 2014 e, é o atual governador do estado do Tocantins. Em 2011 e já na presidência do Sindicato Rural de Gurupi, Carlesse iniciou sua trajetória política ao filiar-se ao Partido Verde (PV). No ano seguinte, foi candidato ao cargo para prefeito do município. Em 2013, Mauro Carlesse mudou sua filiação para o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e, em 2014, candidatou-se a deputado estadual, conseguindo eleger-se para a 8ª legislatura na Assembleia Legislativa do Tocantins, eleito com 12.187 votos.  m 2013, Mauro Carlesse mudou sua filiação para o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e, em 2014, candidatou-se a deputado estadual, conseguindo eleger-se para a 8ª legislatura na Assembleia Legislativa do Tocantins, eleito com 12.187 votos. Em 24 de junho de 2018, Mauro Carlesse foi eleito governador do Tocantins, tendo como vice Wanderlei Barbosa (PHS). Na eleição suplementar, a chapa venceu no segundo turno o senador Vicentinho Alves, do Partido da República (PR). Já nas eleições estaduais de 2018, foi reeleito, desta vez para um mandato completo de 4 anos, como governador do estado do Tocantins.

TV Prefeito