Gol “surreal”, “dever cumprido” e artilheiro surpreso: as sensações de campeões pelo Vasco no sub-20

O Vasco foi campeão carioca sub-20 no último domingo após vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, mas o triunfo que coroou grande campanha da “Base Forte” acabou não sendo o único tema do fim de semana em função do momento turbulento vivido pelo futebol profissional do clube. Para não deixar a conquista passar, o ge conversou com três protagonistas do título: o atacante Figueiredo, autor do gol decisivo, e os meias Caio Lopes e Arthur Sales.

Caio Lopes (camisa 5) e Figueiredo (21) comemoram título estadual do Vasco no sub-20 — Foto: Agência Ferj
“Gosto surreal”

A conquista do Carioca provocou reações distintas no elenco vascaíno, mas especialmente o atacante Figueiredo, que marcou o gol decisivo com cabeçada certeira aos 36 minutos da etapa final, viveu tarde para lá de inesquecível.

Na Colina desde março de 2018, o atleta começou a carreira no Botafogo, mas foi surpreendido com uma dispensa às vésperas de completar 15 anos. Tal reviravolta na vida transformou um gol de título, que já seria naturalmente ímpar, em algo ainda mais significativo e “surreal” para Figueiredo.

– Fui dispensado no sub-15 (pelo Botafogo) quando estava acabando de completar 15 anos se eu não me engano. De repente meu pai recebe uma ligação dizendo que eu fui dispensado, não deram nem uma satisfação a mais. Só tinham falado que eu tinha sido desligado do clube, e eu fiquei sem chão. Sem a menor explicação e sem nada.

– Fiquei um tempo parado, fui para o Boavista, onde consegui me reerguer e chegar aqui ao Vasco. Esse gol que fiz em cima deles teve um gosto surreal. Desde então não tinha feito gol neles e chegou na hora certa. Fico feliz demais por esse gol e por ter ajudado o Vasco a ganhar esse título – revela Figueiredo, que entrou aos 23 minutos do segundo tempo, substituindo o paraguaio Matías Galarza.
Figueiredo celebra título carioca do Vasco na categoria sub-20 — Foto: Betinho Martins

E Figueiredo, que completou 19 anos em 14 de outubro, conviveu da melhor maneira possível com o calendário apertado da base nesta semana. Voltou a campo na segunda-feira, foi titular e abriu o placar na vitória por 3 a 0 sobre o Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro Sub-20.

– Pude fazer um gol logo após o título pelo Brasileiro, contra o Corinthians. Fico muito feliz, espero embalar. Na quinta-feira já temos outra batalha pela Copa do Brasil, o jogo de volta. Espero ajudar a equipe novamente e acredito que vamos fortes para buscar a classificação – emendou, referindo-se ao duelo com o Atlético-MG, pela semifinal do torneio.

Caio Lopes: capitão fala em “dever cumprido”

Com longa e vitoriosa história dentro da base do Vasco, Caio Lopes será integrado ao elenco profissional em 2021. Em setembro próximo, completará 21 anos, e ele se vê totalmente capacitado para alçar voos maiores dentro do clube.

– Como sempre falo: estou sempre preparado para as oportunidades caso surjam, já há tempos falo isso. Posso trazer o que todo mundo já sabe: meu jogo não vai mudar. Na profissional ou na base o jeito vai ser sempre o mesmo. É aguardar. Eu estou pronto.

Sobre o título conquistado no último domingo, Caio falou em conclusão bem-sucedida de uma etapa importante dentro da Colina.

– Sensação de dever cumprido, fechando esse ciclo. Foi o último Carioca que joguei na base. Poder encerrar com título e sendo capitão me deu uma sensação de dever cumprido literalmente. A comissão e os atletas mereciam.
Caio Lopes em ação pela base do Vasco — Foto: Betinho Martins
Arthur Sales: no primeiro ano no sub-17, surpresa com a artilharia

“Dever cumprido” para Caio, “gosto surreal” na boca de Figueiredo e surpresa agradável para Arthur Sales, artilheiro do Carioca Sub-20 com sete gols. Não é para menos. Com 18 anos completos em julho, o meia imaginava que pouco jogaria após ser promovido. Acabou indo muito além.

– No meu primeiro ano, achei que teria poucas oportunidades, que seria pouco utilizado, mas, graças a Deus, eu pude ter mais oportunidades, entrar e mostrar meu trabalho. Me mostrei como um jogador decisivo, para frente, um jogador importante para a equipe. Com certeza me surpreendeu ter sido o artilheiro – afirmou Arthur, que cruzou para Figueiredo no lance do gol do título.

Convidado a apresentar características à torcida, o capixaba opinou sobre quais são suas principais qualidades e no que precisa evoluir.

– Velocidade e finalização são meus pontos fortes. Meu ponto fraco, onde fui bastante cobrado, foi a marcação. Eu ia mal na marcação, e estou melhorando cada vez mais.

Arthur Sales fez o cruzamento que resultou no gol de Figueiredo, o do título estadual do Vasco no sub-20 — Foto: Betinho Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito