Fluminense começa a ganhar cara com “meio” titular, e solução do ataque sai do banco

Ainda que longe de brilhar os olhos, o Fluminense já mostrou certa evolução na última terça-feira, na vitória por 2 a 0 sobre o Boavista, em Bacaxá, pela quinta rodada da Taça Guanabara. Com o retorno de Nino, Yago e Martinelli, a equipe começou a ganhar nova cara, principalmente no meio de campo, mas ainda pouco produziu no ataque.

Antes de propor uma análise, porém, é importante chamar atenção para as péssimas condições do gramado no Elcyr Resende. Não é “desculpa”, mas o terreno dificultou bastante a fluidez na troca de passes – para os dois lados.

Mesmo assim, o estádio será palco de três jogos já na próxima rodada, a começar por Fluminense x Volta Redonda, sexta-feira, às 16h (de Brasília). A partida seria realizada no Maracanã, mas foi transferida para Saquarema em razão das restrições da prefeitura do Rio na tentativa de conter a propagação do novo coronavírus.

Martinelli e Yago comemoram gol do Fluminense na vitória sobre o Boavista — Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Mexidas na escalação: o que deu certo?

O técnico Roger Machado fez quatro mudanças no time em relação ao que iniciou contra o Bangu, no último sábado: Nino no lugar de Frazan; Martinelli e Yago nas vagas de Yuri e Wellington; e Samuel como alternativa a Ganso, poupado. Com exceção do atacante, as mexidas deram outra dinâmica ao Tricolor.

Junto a Marcos Felipe, Nino “salvou” a noite ruim de Matheus Ferraz e Danilo Barcelos, que tiveram dificuldade na marcação, deixando o lado esquerdo, inclusive, mais exposto.

No primeiro tempo, o Boavista marcava com as linhas baixas, formando um bloco compacto próximo à área do velho conhecido goleiro Kléver, e tentava ligações diretas para atacar. Em um desses lançamentos, Ferraz errou o domínio e deixou o atacante Feijão “na boa” para invadir a área. Barcelos ainda tentou consertar o lance, mas cometeu pênalti. Marcos Felipe defendeu a cobrança, e Nino fez corte cirúrgico, evitando o gol no rebote.

Nino, do Fluminense, contra o Boavista — Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

No meio de campo, a dupla de volantes que terminou o Brasileirão 2020 como titular mostrou que deve manter o status na temporada 2021. Mais leves e técnicos do que Yuri e Wellington, Yago e Martinelli deram dinamismo e alternativas ao time, principalmente após o primeiro gol, quando o Boavista começou a se lançar mais ao ataque.

Apesar de Yago ter contado com o desvio de Pedroso para abrir o placar, o volante foi bem na parte ofensiva, e Martinelli, como de costume, elevou a distribuição de jogadas.

Yago, Fluminense — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

Já no pelotão da frente, Samuel Granada não aproveitou a oportunidade. É bem verdade que Ganso ainda não convenceu como falso 9, mas o jovem também não apareceu. Nem ele, nem Lucca. A solução do ataque saiu do banco, com as entradas de John Kennedy e Kayky, aos 31 do segundo tempo.

Aos 43, em contra-ataque veloz, Kayky deu ótimo passe para John Kennedy sacramentar a vitória tricolor. Apesar de pouco tempo e das oscilações, naturais da idade, os jovens já pedem passagem a Roger Machado, ao menos para ganharem mais minutos em campo e mostrarem como podem ser úteis.

John Kennedy comemora gol do Fluminense contra o Boavista — Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

A um mês da estreia na Libertadores, é válido testar ao máximo os garotos. Gabriel Teixeira já tem sido bastante aproveitado – e mostrado personalidade. Samuel, apesar de mal, foi opção nesta terça. Em breve, mais veteranos estarão de volta, e a tendência é que os espaços para os mais jovens diminuam, assim como o tempo para amadurecê-los em campo. A expectativa, inclusive, é que mais titulares retornem já na próxima rodada.

Com 100% de aproveitamento sob o comando de Roger Machado, o Fluminense emplacou sua terceira vitória seguida e, agora, é o terceiro colocado do Campeonato Carioca, com os mesmos nove pontos do que o Flamengo, que está em segundo, mas tem um jogo a menos. O líder Volta Redonda soma 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: