fbpx

Flamengo vai encarar 3,4 mil quilômetros em sequência de quatro jogos em até 10 dias no Brasileiro

A remarcação de duas partidas adiadas do Campeonato Brasileiro criou um desafio logístico no Flamengo. A primeira semana de novembro fará com que a delegação rubro-negra percorra cerca de 3,4 mil quilômetros em duas viagens ao Sul, intercaladas com jogos no Rio de Janeiro.

 — Foto: ge

A maratona terá quatro jogos em até 10 dias. O período envolve uma viagem a Curitiba para enfrentar o Athletico-PR, retorno ao Rio de Janeiro para o duelo com o Atlético-GO e, depois, novo deslocamento a Chapecó para atuar contra a Chapecoense.

O Flamengo pode encarar o seguinte cenário:

  • 30/31 de outubro: Atlético-MG (Rio de Janeiro), 29ª rodada do Brasileirão;
  • 2 de novembro: Athletico-PR (Curitiba), quarta rodada do Brasileirão;
  • 5 de novembro: Atlético-GO (Rio de Janeiro), 19ª rodada do Brasileirão;
  • 6/7/8 de novembro: Chapecoense (Chapecó), 30ª rodada do Brasileirão.

Dirigentes questionam remarcação

A divisão dos jogos gerou questionamentos internos, mas a diretoria aguarda que a CBF retifique o calendário antes de tomar qualquer medida.

Ainda assim, dirigentes do Flamengo se manifestaram publicamente contra o calendário decidido pela CBF. Eduardo Baptista, o Bap, VP de Relações Externas, ironizou o pleito por isonomia de outros clubes, lembrando da disputa por liberação de público nos estádios.

O VP jurídico, Rodrigo Dunshee de Abranches, mostrou preocupação com a possível realização de partidas com menos de 66 horas de diferença – cenário que pode acontecer, a depender da confirmação das datas dos jogos contra Atlético-MG e Chapecoense.

– Já temos toda documentação legal e nossos atletas já estão informados de seus direitos e do desrespeito às condições mínimas de trabalho. Temos certeza que houve um lamentável equívoco e que haverá correção. Não houve mais nenhuma situação de força maior e não há ordem judicial – escreveu Dunshee em rede social.

Jogadores do Flamengo em treino no Ninho do Urubu — Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

Em 2017, um acordo entre a Fenapaf (Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol) e a CBF estabeleceu o período mínimo de 66 horas de descanso entre dois jogos de um mesmo time. Em 2020, devido à paralisação do futebol com a pandemia de coronavírus, houve entendimento para que fosse possível reduzir a diferença por motivos de força maior.

– Há uma sentença judicial que homologou um acordo e que proíbe intervalo menor que 66 horas. Houve um caso de força maior em 2020 e um jogo com 48 horas, mas em 2021 não teve paralisação dos campeonatos por pandemia, mas pela Copa América. Vamos pedir a CBF que corrija isso – disse Dunshee em rede social.

Situação similar em 2020

No Campeonato Brasileiro de 2020, o Flamengo passou por situação parecida. O time disputou três jogos em seis dias, contra Goiás, RB Bragantino e Corinthians. Na ocasião, porém, os dois primeiros duelos aconteceram no Rio, com posterior deslocamento a São Paulo.

  • 13/10/2020: Flamengo 2 x 1 Goiás
  • 15/10/2020: Flamengo 1 x 1 RB Bragantino
  • 18/10/2020: Corinthians 1 x 5 Flamengo

Para mitigar os efeitos das viagens, o Flamengo desde 2019 usa aviões fretados. Desta forma, consegue otimizar o tempo e costuma voltar ao Rio de Janeiro imediatamente após jogos fora de casa, o que ajuda a acelerar a recuperação física dos atletas entre as partidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: