fbpx

Flamengo pede ao STJD a presença de público em jogos do Campeonato Brasileiro

O Flamengo apresentou um pedido ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para que seja liberada a presença de público nos jogos do Campeonato Brasileiro. A solicitação foi feita na noite de terça-feira (4), por e-mail, e é baseada no que o departamento jurídico do clube considera ser um precedente: um pedido semelhante, feito pelo Cruzeiro, na semana passada. 

Na ocasião, o presidente do tribunal, Otávio Noronha, autorizou que o clube receba 30% de público em jogos pela Série B do Campeonato Brasileiro. A decisão ocorreu depois de a Prefeitura de Belo Horizonte divulgar um plano de retomada de público nos estádios do município, com 30% da capacidade. A apresentação do pedido foi confirmada pelo vice-presidente.

O pedido rubro-negro pede que, nos jogos da competição, o clube possa utilizar a capacidade máxima prevista na praça onde a partida for mandada. No Rio de Janeiro, na última sexta-feira (30), a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro liberou a realização de jogos com até 10% da capacidade de público no Maracanã, cerca de 7,3 mil pessoas. 

No entanto, para que isto aconteça, o município determinou que todos os setores do estádio sejam abertos, para que haja mais espaço para a obediência ao distanciamento social. O protocolo determina também que os torcedores sejam testados e haja uma série de cuidados para evitar a formação de aglomerações, como abertura de todos os acessos, uso de máscaras de proteção facial e álcool em gel.

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) autorizou a retomada de público nos jogos da Taça Libertadores da América a partir das quartas de final. No entanto, como ainda não havia liberação no Rio de Janeiro, o clube levou a partida contra o argentino Defensa y Justicia para Brasília, onde venceu por 4 a 1 e garantiu a passagem de fase. 

A decisão do Rio de Janeiro, na última sexta-feira, ocorreu na expectativa de que o Maracanã recebesse o jogo de volta, das quartas de final da Taça Libertadores da América, entre o rubro-negro e o paraguaio Olímpia, no dia 18 de agosto (quarta-feira). No entanto, a diretoria do clube rejeitou a proposta, por considerar que o patamar seria economicamente inviável para justificar a abertura, devido aos elevados custos de operação do equipamento esportivo. O clube havia solicitado a liberação de 30%. 

Com o impasse, o clube decidiu fazer o jogo no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília-DF, onde a presença de público está liberada em até 25% da capacidade limirte. O clube atuou na mesma arena nas quartas de final, quando venceu, no jogo da volta, o argentino Defensa y Justicia por 4 a 1 e garantiu a classificação. Também no estádio da capital federal, o rubro-negro venceu o Palmeira em abril e conquistou a Supercopa. 

Antes do jogo em Brasília, Flamengo e Olímpia se enfrentam no dia 11, em Assunção. Quem avançar pega o vencedor do confronto entre Fluminense e Barcelona de Guayaquil (Equador): chance de um Fla-Flu na semifinal da competição continental. 

Até lá, há a possibilidade de uma liberação maior de público nos estádios do Rio. A SMS prevê a liberação de 50% da capacidade a partir do dia dois de setembro, para torcedores com esquema vacinal completo. Para isto, é necessário que o município alcance as metas de vacinar 77% da população com a primeira dose e 45% com a segunda, além de manter estáveis os índices de internações e óbitos provocados pela Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: