Feira da Agricultura Familiar em Magé: opção de qualidade e preço

Se você quer alimentos mais frescos, de qualidade e com preços mais em conta do que o comércio tradicional, a Feira da Agricultura Familiar de Magé é uma boa opção. Os feirantes estão  às quartas, no Calçadão do Centro e aos sábados, em Piabetá, com vários tipos de produtos como legumes, frutas, temperos, ovos, mel, entre outros.

Para melhorar as condições de trabalho do segmento nas duas feiras, a Secretaria Municipal de Agricultura Sustentável se reuniu, na semana passada, com uma comissão dos feirantes. O saldo do encontro foi considerado positivo pelos dois lados. A Secretaria chegou a sugerir que os feirantes se organizem em uma associação para participar mais efetivamente das políticas públicas para o setor.

“Podemos garantir preços mais acessíveis porque a comercialização é direta, ou seja, de nós, produtores, para os consumidores. Além disso, é claro, oferecer produtos frescos”, disse o agricultor Leonardo Filgueira, do Sítio Cantinho do Céu, na Vala Preta, 3º distrito (Rio do Ouro), que comercializa legumes, frutas, ovos e até pão caseiro.

DICAS DE PRODUTOS – Na barraca do Leonardo, é possível encontrar, por exemplo, uma embalagem com 700 gramas do famoso palmito pupunha a R$ 12, quando um pote de palmito comum e industrializado com a metade da quantidade custa em torno de R$15 em um supermercado tradicional.

Já na barraca da Marcilene Echer, do Sítio Santo Antônio, em Rio dos Cavaleiros, localizado também no 3º distrito, os destaques ficam por conta da goiaba vermelha a R$ 5 o quilo (preço médio  do mercado gira sai a R$ 8) e a batata doce fortificada (rama distribuída pela Secretaria de Agricultura de Magé em parceria com a Embrapa há alguns anos aos pequenos produtores de Magé) e popularmente conhecida como batata cenoura, pela coloração interna e sabor semelhante. O quilo da batata cenoura custa R$ 4.

HORÁRIOS – A Feira da Agricultura Familiar às quartas, no Centro de Magé, acontece das 7h às 16h30; e a de Piabetá aos sábados, das 7h às 14h.

Para melhorar as condições de trabalho do segmento nas duas feiras, a Secretaria Municipal de Agricultura Sustentável se reuniu, na semana passada, com uma comissão dos feirantes. O saldo do encontro foi considerado positivo pelos dois lados. A Secretaria chegou a sugerir que os feirantes se organizem em uma associação para participar mais efetivamente das políticas públicas para o setor.

“Podemos garantir preços mais acessíveis porque a comercialização é direta, ou seja, de nós, produtores, para os consumidores. Além disso, é claro, oferecer produtos frescos”, disse o agricultor Leonardo Filgueira, do Sítio Cantinho do Céu, na Vala Preta, 3º distrito (Rio do Ouro), que comercializa legumes, frutas, ovos e até pão caseiro.

DICAS DE PRODUTOS – Na barraca do Leonardo, é possível encontrar, por exemplo, uma embalagem com 700 gramas do famoso palmito pupunha a R$ 12, quando um pote de palmito comum e industrializado com a metade da quantidade custa em torno de R$15 em um supermercado tradicional.

Já na barraca da Marcilene Echer, do Sítio Santo Antônio, em Rio dos Cavaleiros, localizado também no 3º distrito, os destaques ficam por conta da goiaba vermelha a R$ 5 o quilo (preço médio  do mercado gira sai a R$ 8) e a batata doce fortificada (rama distribuída pela Secretaria de Agricultura de Magé em parceria com a Embrapa há alguns anos aos pequenos produtores de Magé) e popularmente conhecida como batata cenoura, pela coloração interna e sabor semelhante. O quilo da batata cenoura custa R$ 4.

HORÁRIOS – A Feira da Agricultura Familiar às quartas, no Centro de Magé, acontece das 7h às 16h30; e a de Piabetá aos sábados, das 7h às 14h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: