fbpx

‘Faraó dos bitcoins’: investidores conseguem na Justiça bloquear dinheiro que teria alimentado pirâmide financeira

Pelo menos três pessoas que aplicaram recursos numa empresa do ex-garçom e ex-pastor evangélico Glaidson Acácio dos Santos, de 38 anos, conhecido como “faraó dos bitcoins”, conseguiram na Justiça o bloqueio dos valores investidos. Preso no fim do mês passado pela Polícia Federal sob a suspeita de montar um esquema de pirâmide financeira através da G.A.S. Consultoria Bitcoin, com sede em Cabo Frio, na Região dos Lagos, ele é alvo de pelo menos 13 ações que tramitam no Tribunal de Justiça do Rio.

Numa das decisões da Justiça, um servidor público que reside em Guapimirim conseguiu o arresto de R$ 180 mil das contas da G.A.S., para a qual realizou três depósitos, na expectativa de receber os lucros da aplicação em criptomoedas. Uma outra medida judicial favorece um advogado de Itaboraí ao bloquear R$ 60 mil da empresa. A cifra faz parte de montante maior, de R$ 120 mil, depositado por ele em três pagamentos. No processo, o investidor ressalta que Glaidson está preso e que a polícia encontrou evidências de que ele tentava fugir do país.

No terceiro despacho localizado pelo EXTRA, uma professora de Cabo Frio conseguiu o bloqueio on-line de R$ 20 mil das contas da G.A.S., referentes a valores investidos e indenização por danos morais.

Carreata em Cabo Frio

Vítimas de outra companhia suspeita de dar o golpe da pirâmide em Cabo Frio foram ontem às ruas protestar. A Alphabets Investimentos fechou na semana passada, deixando investidores em desespero. Em uma carreata, eles pararam na porta da 126ª DP (Cabo Frio) para pressionar por medidas contra Rogério Cruz, CEO da Alphabets, empresa de apostas esportivas.

Cruz foi condenado em 2017 por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico e, desde a semana passada, é investigado pela Polícia Civil por outros crimes, entre os quais estelionato.

Um dia após encerrar a Alphabets, ele publicou um vídeo dizendo que “tem influência dentro do governo” e “amigos policiais”. Em 2016, Cruz foi preso em flagrante ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Natal (RN) com três quilos de ecstasy numa mala.

Manifestantes cobram investigação

A carreata de ontem em Cabo Frio teve início por volta do meio-dia na Avenida Teixeira e Souza e parou o trânsito em frente à delegacia. A manifestação foi acompanhada por policiais militares e não teve incidentes. Os participantes exibiram faixas contra a Alphabets e usaram um carro de som para cobrar uma investigação e a devolução do dinheiro que investiram.

O descontentamento também foi manifestado por meio de dezenas de mensagens publicadas nas redes sociais. O perfil no Instagram @rogeriocruz.official, que divulga acusações contra o suspeito, postou alguns relatos de pessoas que se dizem lesadas pela Alphabets.

“Tenho três filhos. Investi com o intuito de terminar minha casa. Tô sem chão”, comentou uma internauta. “Investi e não contei para ninguém, estou com vergonha de falar que fui enganado porque tenho só 18 anos”, desabafou um jovem. “Perdi 140 mil, minha esposa investiu também o salário dela de médica, lá se foram mais 10 mil”, contou um cliente. Um outro, desempregado, afirmou que pegou um empréstimo para aplicar na Alphabets e não recebeu o prometido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: