fbpx

EUA podem chegar a 200 mil casos por dia nas próximas seis semanas, diz ex-CDC

Os Estados Unidos podem alcançar quase quatro vezes a taxa atual de casos de Covid-19 nas próximas quatro a seis semanas, à medida que a variante Delta se espalha e a população atinge uma barreira com as vacinações, disse um ex-diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, à CNN.

“Estamos entrando em um momento difícil. É provável, se nossa trajetória for semelhante à do Reino Unido, que possamos ver até 200 mil casos por dia”, disse Tom Frieden, acrescentando que os Estados Unidos provavelmente não verão o “número terrível de mortes” do início da pandemia, graças ao número de pessoas vulneráveis que foram vacinadas. Mas afirmou “Você verá um aumento constante nas mortes, e essas são mortes evitáveis”.

Os casos aumentaram à medida que a variante Delta ganha destaque. Cada estado teve mais casos de Covid-19 relatados na semana passada do que na semana anterior, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Os Estados Unidos registraram em média mais de 57.300 novos casos diários na semana passada – uma média que geralmente tem aumentado desde que o país atingiu a baixa de 2021 de 11.351 casos por dia em 22 de junho, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

A última vez que mais de 200 mil casos nos Estados Unidos foram registrados em um dia foi em janeiro, de acordo com a Johns Hopkins.

Acredita-se que a variante Delta seja mais transmissível do que outras cepas – tanto assim, disse Frieden, que é essencialmente importante encontrar pessoas que não foram vacinadas.

E grande parte do país permanece sem a imunização, apesar dos programas de incentivo e da insistência de especialistas em saúde. Apenas 49,1% da população dos Estados Unidos está totalmente vacinada, de acordo com o CDC. As taxas de vacinação diária estão diminuindo, com apenas cerca de dois terços da população elegível tendo recebido pelo menos uma dose, disse o CDC.

As taxas de vacinação atingiram uma barreira e isso pode ter consequências graves, disse o diretor do Centro de Educação de Vacinas do Hospital Infantil da Filadélfia, Paul Offit.

“Agora, estamos em um ponto onde há sólidos 25 ou 30 por cento da população dizendo que não quer ser vacinada, que está tudo bem em permitir que este vírus continue a se espalhar, a causar danos e, pior de tudo, possivelmente continuar a criar variantes que serão resistentes à imunidade induzida pela vacina”, disse Offit.

As pessoas vacinadas provavelmente pagarão um preço por essas escolhas, disse a analista médica da CNN, Leana Wen. Embora as vacinas ofereçam forte proteção contra o vírus, estar cercado por pessoas não vacinadas pode levar ao contágio, e as pessoas vacinadas podem adoecer ou transmitir a infecção para seus entes queridos, disse.

“Quando as pessoas dizem ‘Não vou ser vacinado’, elas estão, na verdade, escolhendo colocar todo mundo em perigo e estão prolongando a pandemia”, disse Wen.

Apesar do risco representado por uma grande quantidade de pessoas não vacinadas, Frieden disse que as vacinas ainda estão ajudando a mitigar os impactos da pandemia.

“Para cada (caso) que termina em morte nas próximas semanas, haveria centenas que terminariam em morte se não houvesse vacinação”, disse Frieden.

A decisão sobre a orientação das máscaras é iminente, diz fonte

As autoridades de saúde federais têm debatido se emitirão novas orientações sobre máscaras em função do aumento de casos – e estão perto de anunciar sua decisão.

Funcionários do alto escalão se reuniram na noite de domingo (25) para analisar dados e evidências sobre a transmissibilidade da variante Delta e o avanço dos novos casos, de acordo com uma pessoa familiarizada com as discussões. Um anúncio pode vir já nesta terça-feira (27), embora uma pessoa tenha alertado que isso pode acontecer ao longo desta semana.

O CDC disse no dia 13 de maio que a maioria das pessoas totalmente vacinadas não precisa usar máscaras em ambientes fechados ou ao ar livre.

Mas, como os casos aumentaram à medida que a variante Delta se espalhou, alguns especialistas em saúde pediram ao CDC que recomendasse o uso de máscaras em ambientes fechados para todos.

“A única maneira de fazer os não vacinados usarem máscara é orientar o uso para todos”, disse Jonathan Reiner, professor de medicina e cirurgia da George Washington University, no domingo.

Vários lugares estão tentando fazer com que os moradores voltem a utilizar as máscaras. Oito diretores de saúde na área de Puget Sound, no estado de Washington, estão recomendando o uso em ambientes fechados, independentemente do status de vacinação.

“Os oficiais de saúde dos condados de King, Pierce, Snohomish, Kitsap, Clallam, Jefferson, San Juan e Grays Harbour se uniram para transmitir seus melhores conselhos de saúde pública para proteger você, sua família e nossas comunidades”, disse o grupo em uma declaração conjunta.

A cidade de Savannah, na Geórgia, foi além das recomendações, ao invés disso, restabeleceu a obrigatoriedade de máscaras com efeito imediato.

Durante uma entrevista coletiva na segunda-feira (26), o prefeito de Savannah Van Johnson disse que todos, independentemente do status de vacinação, são obrigados a usar as coberturas faciais em todas as instalações do governo municipal, bem como nas escolas municipais de Savannah e nos centros de educação infantil. A regra não se aplica a empresas ou instituições privadas, mas o prefeito está incentivando fortemente os proprietários a implementarem a exigência da máscara.

Em St. Louis, as autoridades da cidade e do condado também implementaram a obrigatoriedade de máscara em ambientes fechados. A regra entrou em vigor na segunda-feira, mas o procurador-geral do Missouri, Eric Schmitt, abriu um processo na esperança de impedi-la.

Schmitt criticou a obrigatoriedade da máscara restabelecida como “irracional, arbitrária e caprichosa, inconstitucional e ilegal”, em um comunicado na noite de segunda-feira.

“Este contínuo exagero do governo é inaceitável e inconstitucional, especialmente em face de uma vacina amplamente disponível”, disse Schmitt no comunicado. “Não há absolutamente nenhuma razão científica para continuar a forçar as crianças a usarem máscaras na escola”, acrescentou.

Muitos especialistas e agências de saúde recomendam o uso de máscaras para proteção contra infecções, especialmente para crianças que são muito novas para serem vacinadas.

Órgãos governamentais começam a adotar requisitos de vacinação

Alguns especialistas em saúde sugeriram que obrigar as pessoas a serem vacinadas para trabalhar em determinados locais ou frequentar a escola poderia ser uma medida necessária para levar o país a um nível de vacinação de proteção completa. Agora, algumas entidades governamentais estão aceitando a sugestão.

Em agosto, a Califórnia exigirá que todos os funcionários estaduais e profissionais de saúde forneçam comprovante de vacinação ou façam exames regulares, disse o governador Gavin Newsom na segunda-feira.

Funcionários estaduais não vacinados serão obrigados a fazer o teste pelo menos uma vez por semana e deverão usar máscaras N95 em todos os momentos. Os profissionais de saúde não vacinados terão que fazer testes pelo menos duas vezes por semana, disseram autoridades de saúde estaduais.

Uma exigência semelhante será implementada na cidade de Nova York, onde toda a força de trabalho das agências da cidade, incluindo escolas, bombeiros e polícia, terá a escolha entre a vacinação ou o teste regular, disse o prefeito Bill de Blasio.

O secretário de Assuntos dos Veteranos, Denis McDonough, anunciou na segunda-feira que as vacinas contra a Covid-19 serão obrigatórias para alguns profissionais de saúde da agência. Esses trabalhadores incluem “médicos, dentistas, podólogos, optometristas, enfermeiras registradas, assistentes médicos, auxiliares odontológicos de função expandida e quiropráticos – que trabalham nas instalações da Veterans Health Administration, visitam as instalações da VHA ou fornecem cuidados diretos”.

“Estamos exigindo vacinas para os funcionários do Title 38 porque é a melhor maneira de manter os veteranos seguros, especialmente porque a variante Delta se espalha por todo o país”, disse McDonough.

Apesar da relutância inicial em apoiar as obrigatoriedades relacionadas às vacinas, a Casa Branca disse apoiar o apelo feito na segunda-feira por um grande coletivo de associações médicas de que as vacinas sejam obrigatórias para todos os profissionais de saúde dos Estados Unidos.

“Essas ações, em nossa opinião, têm como objetivo manter os pacientes e funcionários seguros e, de fato, espero que nossos próprios provedores de saúde federais possam considerar requisitos semelhantes aos de outras vacinas”, disse o secretário de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki.

“Certamente acreditamos que as autoridades de saúde estão na linha de frente e são vulneráveis ??à infecção pela Covid-19 e certamente apoiamos essas ações dessas associações de hospitais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: