EUA dizem a Queiroga que doação de vacinas só será possível a partir de maio

O embaixador americano no Brasil, Todd Chapman, afirmou nesta terça-feira (30) ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que uma eventual doação de vacinas ao Brasil só será possível a partir de maio deste ano. Os dois se reuniram nesta manhã no Ministério da Saúde.

Segundo a CNN apurou, na conversa, o embaixador ponderou que há uma lei em vigor nos Estados Unidos que proíbe a exportação de vacinas neste momento, seja por doação, venda ou permuta. Chapman avisou, contudo, que o cenário será reavaliado pelos americanos em abril, quando os americanos devem decidir se liberam ou não a exportação a partir de maio.

Na conversa com Queiroga, o embaixador não citou especificamente qual vacina poderia ser doada ou permutada. O governo brasileiro quer que os Estados Unidos enviem um lote de 10 milhões de doses da vacina da AstraZeneca não usado pelos americanos.

Sobre as doses da Pfizer e da Janssen já contratadas pelo Brasil, Chapman disse ao ministro da Saúde que fica a cargo das empresas, que são americanas, decidirem sobre uma eventual antecipação do envio dos imunizantes aos brasileiros.

Nesta segunda-feira (29), Queiroga contou a senadores que havia a possibilidade de fazer uma permuta com o país norte-americano para antecipar doses de vacinas ao Brasil. O ministro da Saúde, no entanto, não deu detalhes dessa ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: