Essencial para o país, indústria química enfrenta obstáculos à competitividade

Se a indústria química já desempenhava um papel fundamental para a dinâmica produtiva do país, o período da pandemia de covid-19 ajudou a ressaltar a importância do setor – não só para os outros setores da indústria, mas diretamente à população.

Classificada como atividade essencial pelo Decreto nº 10.329, em abril de 2020, a indústria química ajudou a prover insumos fundamentais para a produção de itens de primeira necessidade no combate e no tratamento da população, como as máscaras cirúrgicas, que levam polipropileno, e as seringas de vacinação.

Esse período ajudou a evidenciar a importância estratégica da indústria química para o Brasil como fornecedor de insumos e multiplicador de valor nas cadeias produtivas. Quase todos os demais setores da economia brasileira dependem em alguma medida de produtos químicos, seja na indústria, na agricultura ou até na prestação de serviços.

Os impactos são significativos em setores como: varejo, construção civil, agronegócio, petróleo, automotivo, produtos de higiene doméstica e pessoal, alimentos e bebidas, vestuário e calçados, entre outros.

Além de estar presente no cotidiano de todos os brasileiros e movimentar a cadeia da indústria, o setor químico brasileiro é um ator relevante da economia nacional.

De acordo com os dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) 2019, a cadeia produtiva principal da indústria química emprega 584 mil trabalhadores e trabalhadoras com uma remuneração média de R$ 3.456,14 – acima da média nacional.

Em termos de faturamento, é a 6ª maior indústria química do mundo e o 3º setor industrial mais relevante no PIB nacional. Conheça os números no infográfico:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: