fbpx

Esplanada dos Ministérios terá protestos pró e contra o governo neste domingo

Após ficar cinco dias bloqueada por conta das manifestações bolsonaristas de 7 de Setembro, a Esplanada dos Ministérios será palco de protestos pró e contra o governo neste domingo, 12. Segundo anunciou a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, pela manhã, irão os favoráveis ao governo, que poderão ficar até às 14h. Uma hora depois será a vez dos contrários a Jair Bolsonaro (sem partido).

“Eles irão se manifestar entre o Museu da República e a Avenida José Sarney, paralela à Avenida das Bandeiras, porém em horários distintos”, informou a pasta.

Após ficar cinco dias bloqueada por conta das manifestações bolsonaristas de 7 de Setembro e ser liberada somente nesta sexta, a área central de Brasília terá o acesso interrompido novamente por conta de manifestações dos dois grupos.

De acordo com a nota divulgada pela secretaria, a manifestação a favor do governo vai acontecer das 9h às 14h na Esplanada. Já os que vão protestar contra o presidente Jair Bolsonaro ocuparão a área de 15h às 19h. “Os atos serão acompanhados pela Polícia Militar do Distrito Federal”, informou.

Segundo o governo do DF, a segurança será reforçada durante os dois eventos. “A área central de Brasília permanece sob monitoramento da SSP e forças de segurança locais, por meio do Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) e equipes em campo. O objetivo é garantir a segurança de todos que circulam na região. O policiamento na região será reforçado.”

Com uma mobilização maior, os atos contra o governo são organizados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e têm como principal reivindicação o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. As manifestações também vão acontecer em outras capitais, como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Belo Horizonte (MG).

É prevista a participação de políticos de variados espectros ideológicos. Na principal manifestação, que vai acontecer em São Paulo, na Avenida Paulista, estão confirmadas as presenças de militantes do PSDB, das centrais sindicais e do presidenciável Ciro Gomes (PDT).

O PT, principal partido de oposição ao governo Bolsonaro, não estará presente. O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos líderes do MBL, afirmou que a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, negou participar. “A Gleisi negou participação antes de convidarmos as esquerdas”, disse ao Estadão.

Protesto em São Paulo

As forças de segurança do Estado de São Paulo contarão com um esquema especial de policiamento para a manifestação prevista para este domingo, 12, na Avenida Paulista, entre 14h e 18h. Além do policiamento regular da capital, um efetivo com cerca de dois mil policiais militares atuará no ato. 

O patrulhamento será intensificado em toda a cidade desde as primeiras horas do dia, especialmente nas imediações das estações do Metrô, terminais de ônibus e em áreas com grande fluxo de pessoas contarão com o reforço. A Polícia Militar ressalta que abordagens e revistas pessoais e em mochilas ou bolsas serão realizadas em diferentes pontos da cidade e não somente em áreas próximas ou locais de acesso ao ato.

Para a manifestação serão mobilizados PMs de batalhões territoriais e especializados, com apoio de 700 viaturas, incluindo Bases Comunitárias Móveis, seis veículos blindados (Guardiões), três veículos lançadores de Água (VLA), 10 cães, 50 cavalos e seis drones. Participarão da operação equipes dos Comandos de Policiamento da Capital (CPC), de Trânsito (CPTran), de Choque (CPChq), do Corpo de Bombeiros (CCB) e de Aviação (CavPM) que disponibilizará dois helicópteros Águia.

Mediadores da PM – agentes que possuem cursos de gerenciamento de crises – também estarão à postos para facilitar a comunicação da Instituição com os manifestantes, evitando confrontos, discussões e atos de violência. Esses policiais estarão vestindo um colete azul.

As ações serão monitoradas pelo sistema Olho de Águia (helicópteros e drones), por meio de câmeras fixas, móveis, motolink e Sistema Olho Vivo (bodycam). Toda operação será acompanhada em tempo real da sala de Comando e Controle no Centro de Operações da PM (Copom). Delegacias territoriais também estarão preparadas para atender a população com maior celeridade, se necessário.

Objetos proibidos

A Polícia Militar informa que será proibido o porte de objetos que possam atentar contra a vida ou integridade física dos demais presentes no ato, população em geral e policiais. Entre os objetos que não podem ser usados estão armas brancas e de fogo, bastões, fogos de artifício, sinalizadores e drones. Quem estiver na posse destes materiais será conduzido à delegacia para o registro da ocorrência. Paralelamente às revistas, as equipes da Polícia Militar realizarão o trabalho de monitoramento e fiscalização dos manifestantes, por meio das câmeras operacionais portáteis (COPs) do sistema Olho Vivo.

Todas as medidas de segurança adotadas foram acordadas com os representantes dos organizadores do ato, na última quarta-feira (8/9), em uma reunião preparatória ocorrida na sede do Comando de Policiamento de Área Metropolitano 1 (CPA/M-1), responsável pelo patrulhamento na área central da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: