fbpx

Escolas da Faetec são destaque na maior feira de ciência do Estado do Rio

Dos 14 projetos da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) selecionados para a XIV Fecti (Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro) – a maior feira de ciências voltada para a Educação Básica do Estado do Rio de Janeiro -, 10 obtiveram excelentes resultados. Alunos da Fundação subiram ao pódio seis vezes em três categorias: Ciências Biológicas & Saúde; Desenvolvimento de Tecnologia; e Interdisciplinar. Quatros projetos também foram pré-selecionados para a Fecti 2021 e serão desenvolvidos ao longo do ano, e outros dois, indicados para feiras nacionais.

 

Em primeiro lugar, dois projetos: o Simulador de Operação Metroferroviária (foto) para utilização no curso Técnico em Manutenção Metroferroviária, na categoria Desenvolvimento de Tecnologia; e o Infernum Digital – jogo em 2D pixel, baseado na obra “A Divina Comédia”, na categoria Interdisciplinar. Este último foi indicado para a Mostratec 2020, preparada pela Fundação Liberato de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, e que acontecerá em outubro de 2021.

 

Estudantes da ETE de Transporte Engenheiro Silva Freire, em Deodoro, venceram com a criação do Simulador de Operação Metroferroviária. Os jovens construíram um console, que reproduz o painel de controle de um trem; e um circuito eletrônico, que dialoga com o software de simulação; além de terem feito uma reprodução pictográfica da estação de Japeri a Central, por meio de programação visual.

 

– Foram oito meses de trabalho. O objetivo do equipamento é aumentar o contato dos alunos do curso com os trens, aprimorando as aulas das disciplinas de operação, sinalização e material rodante, e trazendo o máximo de realismo dos acontecimentos ferroviários com a utilização do simulador. Inclusive, ele poderá servir para as empresas no treinamento de funcionários – garante Luiz Alexandre Oliveira, estudante do ensino técnico em Manutenção de Metroferroviária.

 

Vencedora com o Infernum Digital, a estudante Amanda Caldeira, do 2º ano do curso técnico em Programação de Jogos Digitais, explica que o projeto é uma adaptação de um game criado em formato de tabuleiro para a Plataforma PC, a partir da geometria infernal constante na primeira parte da obra de Dante Alighieri.

 

– O jogador terá o controle de dois jovens personagens (João Pedro e Jorge), alunos do Ensino Médio, que são transportados misteriosamente para um jogo inspirado no inferno dantesco e que enfrentarão uma série de desafios (dispostos ao longo de nove níveis ou círculos). O objetivo é retornarem ao mundo real – conta a aluna da Escola Técnica Estadual (ETE) República, em Quintino.

 

Na categoria Desenvolvimento de Tecnologia, dois trabalhos conquistaram o segundo e o terceiro lugar. São eles: um medidor de temperatura via wi-fi, na modalidade de projetos concluídos; e um aplicativo com o foco na educação financeira entre jovens, em fase final de execução. O primeiro projeto, que também foi indicado para disputar o Febrace 2021 (feira de alcance internacional), pode ser um grande aliado nesses tempos de pandemia da Covid-19.

 

Trata-se de um dispositivo capaz de identificar se uma pessoa está com febre e informar em tempo real para o smartphone do responsável.

 

– Muitos indivíduos não são capazes de medir sua própria temperatura, seja por alguma deficiência ou até mesmo por falta de conhecimento. Por isso, acreditamos que o dispositivo ajudará a identificar a presença do sintoma em pessoas que precisam de um cuidado especial e nem sempre estão sob a supervisão de alguém – avalia a aluna Ana Beatriz Pimenta, da ETE Henrique Lage, em Niterói, uma das idealizadoras da ferramenta.

 

Também houve dobradinha no pódio na categoria Ciências Biológicas e da Saúde. Com o segundo e terceiro lugar, respectivamente, os projeto ganhadores foram “Caracterização dos Resíduos Sólidos na praia de Vila Saquarema” e “Sem Preço, Mas Com Valor!”. Este último destina-se à promoção da conscientização ambiental dos usuários do campus Santa Cruz a partir da realização de diversas atividades ecológicas, como o desenvolvimento de composteira, vermicomposteira, olericultura e outras.

 

– É com sentimento de orgulho que vejo tantos alunos da Faetec à frente de projetos científicos que foram destaque na Fecti. Isso só mostra que nossas escolas da rede seguem cumprindo a missão de despertar e incentivar cada vez mais o talento dos estudantes, de modo a impulsionar a área científica e técnica do estado, além de contribuir para um futuro melhor desses jovens – ressaltou o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Dr. Serginho.

 

Projetos selecionados para a Fecti 2021

 

No forno quatro projetos, ainda em construção pelos alunos e professora da Faetec e com a previsão de lançamento para 2021, garantiram vagas na Fecti 2021. São eles: um medidor de consumo elétrico via wi-fi; uma cadeira de roda elétrica sustentável (a base de bambu e energia solar); a instalação de painéis solares para um modelo de escola autossustentável; e um estudo sobre tartarugas marinhas no estado do Rio de Janeiro. Na feira, os estudantes autores de projetos bem colocados também ganharam bolsas CNPq.

 

O novo presidente da Faetec, João Carrilho, parabeniza os alunos pela dedicação na confecção dos projetos.

– É um orgulho ver tantos talentos na Rede Faetec despontando no mundo das invenções. Desejo sucesso para cada um e que, em 2021, os projetos em desenvolvimento brilhem ainda mais. Para nós, esses jovens são todos vencedores. Seus esforços os levaram ao pódio – destaca Carrilho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: