Envolvido por testemunha no caso Marielle, Orlando da Curicica é tranferido do Rio

Apontado por uma testemunha como mandante dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista Anderson Gomes, o miliciano Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando da Curicica, foi transferido do Rio no início da manhã desta terça-feira. A mudança acontece a pedido da Secretaria de Segurança do Rio e Orlando irá cumprir pena em uma penitenciária de segurança máxima do governo federal.
Além de Orlando, o delator ouvido pela Delegacia de Homicídios da Capital (DH), que é ex-miliciano, também apontou o vereador Marcello Siciliano (PHS) como responsável pela morte de Marielle. A testemunha disse ter visto ambos, em junho de 2017, durante um encontro no restaurante, no Recreio dos Bandeirantes, tramando o assassinato da vereadora. “Eu estava numa mesa, a uma distância de pouco mais de um metro dos dois. Eles estavam sentados numa mesa ao lado. O vereador falou alto: “Tem que ver a situação da Marielle. A mulher está me atrapalhando”. Depois, bateu forte com a mão na mesa e gritou: “Marielle, piranha do Freixo”. Depois, olhando para o ex-PM, disse: ‘Precisamos resolver isso logo'”, afirmou a testemunha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *