14 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Energia renovável no setor de transportes alcança 22,5% em 2023

O percentual de energia renovável no setor de transportes, considerado de difícil descarbonização, chegou a 22,5% em 2023. É o que mostra o Balanço Energético Nacional (BEN) 2024, divulgado nesta semana pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em parceria com o Ministério de Minas e Energia (MME). Nos últimos dez anos, a energia renovável no setor de transporte cresceu cinco pontos percentuais.

“Não é por acaso que lançamos, neste terceiro mandato do presidente Lula, o maior programa de descarbonização da matriz de transportes e de mobilidade do planeta: o Combustível do Futuro. Isso significa mais etanol na gasolina, mais biodiesel no diesel, combustível sustentável de aviação, diesel verde e captura de carbono. Tudo isso se traduz em mais emprego e renda para brasileiras e brasileiros“, pontuou o ministro Alexandre Silveira.

Entre os destaques do balanço para o setor de biocombustíveis está o aumento do consumo de etanol, que cresceu 6,3%, e de biodiesel, que subiu em 19,2% em 2023, em comparação ao ano anterior.  Durante o ano de 2023, o mandato de adição do biodiesel ao diesel fóssil foi de 12% em volume (B12) a partir de abril.

Segundo o BEN 2024, os combustíveis mais consumidos ainda no setor de transportes são óleo diesel (43,4%), gasolina (27,8%), etanol 0 (17,3%) e o biodiesel (5,2%), seguidos pelo QAV (3,5%), gás natural (1,8%) e eletricidade e outros tipos de óleo (1%).

Vale destacar ainda que no ano de 2023, os principais movimentos estão relacionados ao aumento da produção de Gasolina (+ 6,9%), enquanto a importação do combustível teve uma queda de 4,7%. O consumo de energia em 2023 no setor de transportes aumentou 4,4% em relação a 2022.

Combustível do Futuro

A ampliação do uso de biodiesel na matriz energética se soma aos esforços previstos no Projeto de Lei do Combustível do Futuro. A iniciativa busca viabilizar a mobilidade sustentável e a transição energética justa e inclusiva, reduzindo a intensidade de carbono do setor de transportes a partir das mais diversas rotas tecnológicas e matérias-primas.

O Projeto de Lei Combustível do Futuro, já aprovado na Câmara dos Deputados, prevê integração das políticas públicas relacionadas à mobilidade no país como o RenovaBio, Mover e Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, além de um aumento de até 35% (E35) na mistura de etanol à gasolina. A iniciativa introduz o SAF (combustível sustentável de aviação) e o Diesel Verde na matriz energética, além de criar um marco legal para atrair investimentos na atividade de captura e estocagem de CO2. O objetivo é estimular a pluralidade de fontes, sem trancamento tecnológico e buscando os melhores custos da energia para a população.

Mais informações sobre o BEN

O Balanço Energético Nacional divulga, anualmente, uma extensa pesquisa e a contabilidade de dados relativos à oferta e consumo de energia no Brasil, levantados pela EPE. O relatório contempla as atividades de extração de recursos energéticos primários, sua conversão em formas secundárias, a importação e exportação, a distribuição e o uso final da energia.

Até a próxima semana, o Ministério de Minas Energia divulgará uma série de matérias detalhando os principais destaques do BEN 2024 em relação aos setores de energia elétrica, planejamento energético, petróleo, gás natural e biocombustíveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *