Enem: às vésperas da prova, Defensoria recomenda adiar exame no Rio por risco de aumento do contágio

Os defensores de Direitos Humanos da Defensoria Pública da União (DPU) no Rio de Janeiro enviaram ontem recomendação ao presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, e ao Ministro da Educação, Milton Ribeiro, para que seja suspensa a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no estado. A primeira prova está marcada para o próximo domingo.

No documento, os defensores ressaltam que, embora as crianças e adolescentes sejam menos afetados pela Covid-19, eles são vetores da doença. Além disso, fazem referência à defesa do adiamento do exame, feita pelo governador do Rio, Claudio Castro.

De acordo com a DPU, a realização do Enem neste momento de crescimento da disseminação do vírus no estado seria um risco à saúde, especialmente de pessoas de grupos vulneráveis com quem muitos destes jovens convivem diária e constantemente.

Na últoma, a recomendação para o adiamento das provas também foi encaminhada ao governador em exercício Cláudio Castro e ao prefeito Eduardo Paes.

Os defensores Shelley Duarte Maia e Thales Arcoverde Treiger destacam ainda que o estado vivencia um segundo pico de contaminações e mortes, com sobrecarga do sistema de saúde pública. O Boletim Epidemiológico de 07/01/2021, mencionado no documento, indica que a letalidade da Covid-19 na cidade do Rio é de 8,9%, uma das cidades com mais mortes entre as capitais brasileiras, e que representa 229,9 mortos a cada 100 mil habitantes.

O documento diz que o adiamento visa evitar aglomerações e possível contaminação de alunos e profissionais empenhados na aplicação das provas. A DPU pede ainda que o Enem seja reaplicado em nova data que não prejudique o acesso dos estudantes às universidades.

A Defensoria estipulou prazo de 24 horas para que as autoridades possam responder ao pedido, informando as medidas implementadas ou as razões para o não acolhimento do recomendado.

Procurados, o Inep e a secretaria estadual de Saúde não se manifestaram até o fechamento desta edição. Já a prefeitura do Rio afirmou que a prova está mantida pela Justiça e que analisa a situação junto à secretaria de Sáude e ao comitê de enfrentamento da Covid.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: