Empresários e poder público de Petrópolis conhecem exemplos de sucesso do Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP)

Uma comitiva formada por empresários ligados à Firjan, a diretoria do Serratec e membros da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Petrópolis visitou o Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), nos dias 18 e 19/05. O objetivo foi conhecer um dos maiores centros de referência em inovação, pesquisa e tecnologia do Brasil e aprender como aplicar as boas práticas e modelos de sucesso em iniciativas regionais, como Serratec, o parque tecnológico da Região Serrana.

Luiz Antônio Daud, diretor do Sindicato da Indústria Eletrônica, de Informática, de Telecomunicações no Estado do Rio de Janeiro (Sinditec) destacou a importância da visita e a oportunidade de entender as estratégias e a forma de trabalho da principal referência nacional em desenvolvimento tecnológico. “Nosso objetivo foi ampliar a rede de conhecimento, trocar experiências e trazer informações que possam contribuir com a competitividade das empresas da região. Tudo o que foi visto ajudará na construção do nosso próprio ambiente”, garantiu o empresário, que também é membro do Conselho Empresarial da Firjan.

O PqTec reúne 400 empresas e instituições que atuam em setores de tecnologia da informação e comunicação, instrumentação eletrônica, geoprocessamento, aeronáutica, defesa, espacial, energia, saúde e biomedicina, além de tantas outras que se instalaram e vêm se instalando no complexo do PqTec para atender as demandas cruzadas. Há também um programa para startups que são incubadas e aceleradas dentro do Parque e recebem consultoria e monitoria com especialistas de diversas áreas.

Parque Tecnológico - Prefeitura de São José dos Campos



Presidente do Serratec, Marcelo Carius, celebrou a visita e acredita ser possível se inspirar em estratégias de sucesso da cidade paulista no parque tecnológico da Região Serrana. “O modelo proposto para o Serratec é diferente do que há em São José dos Campos, considerando principalmente as particularidades da Serra, mas foi possível extrair boas informações, conhecer soluções bem-sucedidas, além do histórico de investimentos e de tomadas de decisão que fizeram do Parque Tecnológico de São José dos Campos ser a potência que é. Foi uma excelente oportunidade de aprendizado e já pudemos vislumbrar ajustes de percurso para nosso arranjo produtivo de tecnologia e inovação”, explicou.


Além de conhecer a grandiosidade do PqTec, a visita também ajudou para sensibilizar o governo municipal sobre a necessidade de participação ativa nas iniciativas tecnológicas de Petrópolis e região. “Tentamos muitas vezes mostrar o papel imprescindível que o poder público deve ter na estruturação de um arranjo produtivo de inovação como o nosso. O governo não é o único player, mas sem essa participação dificilmente vamos alçar voos mais altos. Nessa visita, com os olhos e ouvidos atentos para um modelo vencedor, foi possível entender o tamanho da responsabilidade das políticas públicas para o sucesso de um projeto como esse, atuando, claro, em articulação com os outros setores que formam as quatro hélices. E agradeço muito a presença do secretário Marcelo Soares nesta comitiva”, declarou Carius.  As quatro hélices, a que se refere o presidente do Serratec, foi um ponto destacado por toda a comitiva no balanço da visita, e que balizam o modelo do ecossistema de inovação em São José dos Campos, porque integram empresas, universidades/centros de pesquisa, governo e comunidade.


Por sua vez, Marcelo Soares, secretário de Desenvolvimento Econômico de Petrópolis, destacou e comemorou a possibilidade de intercâmbio e aproximação com os diversos atores que sustentam o modelo inovador de São José dos Campos. “Viemos aprender um pouco com empresas e instituições públicas e privadas que são referência em competividade, liderança, qualidade, produtividade, inovação e gestão, para oxigenar e fortalecer nossos próprios projetos de tecnologia e inovação” destacou Soares. O secretário também enfatizou a vocação de Petrópolis para o setor de tecnologia e inovação. “Tenho certeza de que estamos no caminho certo, mas devemos listar o que faz mais sentido para a nossa cidade, elencar prioridades e colocar um novo plano de ação em marcha. Não devemos pensar em uma cópia do que vimos, mas temos diversas qualidades que devem ser ressaltadas. Viemos para ver um Brasil que dá certo e voltamos para casa vibrantes, cheios de ideias para colocar em prática e com nossos laços ainda mais fortalecidos”, garantiu.


O grupo também conheceu a sede da Embraer, uma das principais indústrias globais e a terceira maior fabricante mundial de aviões comerciais e executivos. Na visita os integrantes puderam conferir toda a linha de montagem dos E-Jets e aprender sobre os diferenciais da empresa, como a pintura de partes antes da montagem dos jatos, o que é reconhecido com uma prática premiada e que reduz custos e dá ganha de produtividade a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: