fbpx

Em segundo encontro, Fluminense não consegue se redimir com torcida; sobra até para ídolo Fred

Fluminense buscava, neste sábado, contra o Atlético-GO, se redimir com a torcida após o frustrante reencontro da última quarta-feira, na derrota para o Fortaleza. O empate em 0 a 0, porém, fez os tricolores mais uma vez deixarem o Maracanã irritados – mais pelo resultado e pelas chances desperdiçadas, já que a atuação, principalmente no 2º tempo, foi superior à do jogo anterior.

Na sexta-feira, Fred chegou a gravar um vídeo convocando os torcedores e pedindo que evitassem vaiar os jogadores durante a partida. A intenção era criar um clima mais favorável aos atletas, após as vaias a Danilo Barcelos e Lucca durante a semana. Mesmo vindo de um ídolo, o pedido gerou críticas de alguns torcedores nas redes sociais. E, na prática, não adiantou muito.

Fred, em Fluminense x Atlético-GO — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

Apesar de em pequeno número (2.200 presentes), a torcida tricolor começou o jogo fazendo muito barulho nas arquibancadas e apoiando o time. Com Danilo Barcelos, porém, não houve trégua. O lateral, vaiado até no anúncio da escalação nos alto-falantes, voltou a ouvir a ira dos torcedores após falhas no 1º tempo. Seus ouvidos só ganharam um descanso após sua melhora na 2ª etapa – chegou até a ser aplaudido em um desarme mais para o fim do jogo.

Danilo Barcelos em Fluminense x Atlético-GO — Foto: Divulgação FFC

Vaias x gritos de apoio a Fred

Nem o próprio Fred escapou. O artilheiro tricolor chegou a ouvir algumas vaias ao ser substituído no 2º tempo, logo abafadas pelo grito “O Fred vai te pegar”. As vaias ao ídolo, aliás, causaram divergências entre os próprios torcedores, com grupos discutindo entre si.

Torcida do Fluminense no jogo contra o Atlético-GO — Foto: André Durão

“Temos que responder dentro de campo. Só vai acabar quando ganharmos jogos, fazermos gols”, disse Yago no intervalo.

O time melhorou visivelmente após o intervalo. Mas conforme o tempo ia passando e o placar não se alterava, a ansiedade da torcida, que ainda não comemorou um gol nesta volta do público aos estádios ia aumentando. E as chances desperdiçadas nos acréscimos levaram os tricolores ao desespero. Principalmente com Lucca, outro que não tem muito crédito com os torcedores, e que perdeu chance claríssima no último lance.

“O torcedor pagou ingresso, está há 2 anos sem vir ao estádio. Tem direito de cobrar de qualquer um, não só de mim”, desabafou Danilo Barcelos após o jogo.

Hostilizado na quarta-feira, quando assistiu ao jogo nos camarotes da arquibancada, o presidente Mário Bittencourt optou por ver a partida deste sábado das cabines, mas não foi esquecido pelos torcedores, que voltaram a proferir xingamentos contra o mandatário.

Ao fim do jogo, o Fluminense saiu de campo sob os gritos de “time sem vergonha”. Em dois jogos, a ansiedade dos tricolores pelo reencontro após 577 dias se transformou em impaciência pelos maus resultados. E a sequência de sete jogos de invencibilidade deu lugar a um clima de pressão.

A próxima chance para o Tricolor conseguir fazer bonito diante de seus torcedores é no dia 23 de outubro. E justamente um clássico contra o Flamengo, pela 28ª rodada do Brasileirão. Antes, o Fluminense visitará o Corinthians no dia 13 e o Athletico-PR no dia 17. O time é o nono colocado na competição, com 33 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: