Em reunião com a Ferj, Flamengo insiste em público nas finais do Carioca; Prefeitura reforça veto

Apesar do recente veto da Prefeitura do Rio de Janeiro, a possibilidade de haver público nas finais do Campeonato Carioca segue sendo debatida. No momento, apesar de a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde ter reafirmado a proibição a jogos com torcedores, já que há decreto em vigor com essa determinação, ainda está aberta a possibilidade de haver liberação para o segundo jogo da decisão.

É o que tenta o Flamengo. Vasco, Botafogo e Fluminense são contrários à reabertura dos estádios e, desta forma, já está decidido que, nas finais da Taça Rio, os portões serão fechados. No primeiro Fla-Flu da final do Carioca, também. Isso porque não há tempo para eventual venda de ingressos, além do decreto que está em vigor. O clube da Gávea faz lobby para que, no segundo jogo, haja torcida.


Os quatro grandes do estado se reuniram com a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) nesta quarta-feira para discutir, entre outros assuntos envolvendo a logística das partidas, a chance de liberar torcida nas partidas decisivas do estadual.

No encontro, Flamengo e Ferj se colocaram a favor da presença de público, enquanto Fluminense, Vasco e Botafogo se mantiveram contrários à iniciativa, como já haviam se posicionado na terça. O Maracanã, por sua vez, afirmou ter capacidade para receber os torcedores sem infringir os protocolos de segurança e que, inclusive, já teria elaborado um plano operacional especial para as finais do Carioca.

Maracanã será o palco das finais do Campeonato Carioca 2021 — Foto: Paula Carvalho

Como tanto Vasco e Botafogo se posicionaram contra a presença de público, ficou fechada a questão de que as partidas das finais da Taça Rio entre os públicos seguirão com portões fechados. Como não há consenso entre Fla e Flu, por sua vez, ficou marcada uma nova reunião para esta quinta-feira, às 14h (de Brasília).

Procurada pelo ge, a assessoria da Prefeitura voltou a afirmar em nota: “O Decreto Rio Nº 48425, de 13 de janeiro de 2021, que suspende temporariamente a presença de público em estádios e ginásios esportivos, está em vigor”. E afirmou que, “portanto, competições esportivas podem ser realizadas, porém sem público presente”.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a região metropolitana do Rio de Janeiro se encontra na fase vermelha (risco alto) do protocolo de medidas para impedir o avanço Covid-19. Jogos com público só seriam permitidos a partir da fase amarela (risco baixo). Todo o estado se encontra ou na fase laranja (risco moderado) ou na fase vermelha.

Mapa de Risco por Região de Saúde, segundo a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução

Como há um decreto em vigor proibindo jogos com público na cidade, a visão dos entusiastas da presença de torcedores é que não haja tempo hábil para que a medida seja adotada já para o primeiro jogo da final, neste sábado, já que, além de precisar haver um novo decreto autorizando, ainda seria preciso realizar venda de ingressos. O entendimento é que o cenário seria mais viável para a segunda partida, no outro fim de semana.

Flamengo e Ferj conversam com prefeitura

Após a reunião, porém, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, seguiu para um encontro com Eduardo Paes. Em pauta, a possibilidade de liberação do público. O diretor de marketing da Ferj, Leonardo Ferraz, foi convidado e acompanhou o encontro.

Na terça, a Ferj publicou uma resolução da diretoria a favor da possibilidade de haver torcida tanto nas partidas entre Flamengo e Fluminense, pela final do Carioca, quanto nos confrontos entre Vasco e Botafogo, pela final da Taça Rio. A Prefeitura, por meio de sua assessoria, no entanto, vetou a possibilidade e informou que só são permitidos jogos com os portões fechados, exatamente a mesma informação repassada nesta quarta.

O Flamengo insiste com a possibilidade de presença de torcedores nas arquibancadas. Em discurso oficial, a entidade se coloque a favor da “coletividade”. Nos bastidores, a postura é de evitar atritos e deixar os clubes tomarem as rédeas da questão.

O Fluminense é contra e já se manifestou publicamente. Por sua vez, Botafogo e Vasco disseram em posicionamentos recentes que não são a favor da volta do público a essa altura da pandemia, mas não responderam ao ge sobre suas opiniões com relação às finais do Carioca até o fechamento desta reportagem. Nos bastidores, o Flamengo se mostra confiante no lobby com a Prefeitura do Rio para obter a autorização à presença de público nos jogos.

A principio sem público, o jogo de ida entre Fluminense e Flamengo está marcado para o próximo sábado, às 21h05 (de Brasília), no Maracanã; e o primeiro jogo da final da Taça Rio entre Botafogo e Vasco acontece no domingo, às 11h05 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: