Em derrota com roteiro repetido, Flamengo é previsível, vulnerável e pouco competitivo

A cena se repetiu no Maracanã. Como no Fla-Flu, o Flamengo teve mais de 70% posse, finalizou mais, mas novamente saiu do Maracanã derrotado, desta vez por 2 a 0, pelo Ceará. Para aumentar ainda mais a frustração dos rubro-negros, o líder São Paulo novamente não pontuou, mas o time não encurtou a distância. Com a bola, o Flamengo foi previsível. Sem ela, se mostrou vulnerável.

Rogério Ceni, técnico do Flamengo — Foto: André Durão

A derrota do Flamengo passou novamente pela pouca capacidade mostrada de superar um sistema defensivo bastante fechado, com as linhas recuadas. O baixo rendimento técnico dos jogadores mais criativos, como Everton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique, minou o time.

Rogério Ceni chamou a responsabilidade para si do jogo ao fazer mudanças como as entradas de César, Gustavo Henrique e Pedro. Gabigol foi para o banco. Grande novidade da equipe, Pedro não foi bem. Teve as principais chances do Flamengo e as desperdiçou.

– Os times adversários aproveitam as poucas oportunidades que têm e convertem em gol. Confortável ninguém está. São duas rodadas onde o líder não marca pontos e você não consegue encurtar essa distância. Tenho que encontrar as soluções, e os jogadores precisam competir mais – disse Ceni.

O treinador tem razão quando cobrou mais espírito competitivo do time. Principalmente no primeiro tempo, o Flamengo foi apático, quase desinteressado. Só era possível ouvir os jogadores do Ceará em campo.

A entrada de Diego no lugar de Gustavo Henrique no intervalo melhorou um pouco o time. Não pela ida de Arão para a zaga, mas pelo fato de o camisa 10 ter dado mais espírito de luta no meio de campo e contagiado ao menos um poucos companheiros.

Gabigol  começou no banco e só entrou em campo no segundo tempo — Foto: André Durão

Mas foi pouco, muito pouco, para um Flamengo que se coloca como candidato ao título. A cada rodada que passa, o cenário fica mais turbulento, principalmente pelo time não dar indícios de evolução de desempenho.

Agora, o Flamengo fará quatro jogos fora de casa em sequência, contra Goiás, Palmeiras (remarcado para Brasília), Athletico e Grêmio. Para ainda ter esperança, o primeiro passo é voltar a competir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: