Doria quer antecipar para agosto 100% dos adultos vacinados em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), vai antecipar novamente a data para ter 100% dos adultos vacinados no Estado. Deve ser concluída até o fim de agosto. O Palácio dos Bandeirantes ainda faz contas para cravar o dia. Atualmente, o prazo é 15 de setembro.

O anúncio será feito no domingo (11.jul.2021). Antes disso, na 6ª (9.jul), Doria irá participar de evento para aplicação da 1ª dose de testes da vacina ButanVac, produzida pelo Instituto Butantan. O evento será em Ribeirão Preto (SP) e celebra a Revolução Constitucionalista de 1932. Na 4ª (7.jul), a Anvisa liberou os testes em humanos do imunizante.

No sábado (10.jul) , Doria irá cumprir agenda relacionada às prévias do PSDB. Irá para Campo Grande (MS) e Goiânia (GO) para se reunir com militantes do partido. Ele concorre com o governador gaúcho Eduardo Leite pela indicação do partido para a candidatura presidencial.

No domingo passado, Leite deu início a essas movimentações em visita ao Distrito Federal, onde encontrou-se com filiados do partido. Ambos querem representar a “3ª via” nas eleições presidenciais em 2022.

NOVA ANTECIPAÇÃO

Na 4ª (7.jul), chegou ao Aeroporto Internacional de Guarulhos um carregamento de 2,7 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 da farmacêutica chinesa Sinovac.

A remessa faz parte de lote de 4 milhões de doses prontas para aplicação exclusivas do Estado de São Paulo.

De acordo com a gestão de Doria, o lote extra começou a ser entregue no mesmo e está sendo distribuído aos 645 municípios paulistas. A 2ª remessa com 1,3 milhão de vacinas deve ser entregue em 26 de julho.

Vamos antecipar o calendário de vacinação em São Paulo sem interferir no contrato do Instituto Butantan com o Brasil”, disse Doria, sem cravar as novas datas.

VACINAS EXCLUSIVAS

O lote dos imunizantes exclusivo para São Paulo chega antes mesmo da conclusão das entregas referentes ao contrato do governo do Estado com o Ministério da Saúde, que prevê 100 milhões de doses.

O acordo estabelecia exclusividade na entrega de vacinas ao governo federal até que todas as doses fossem fornecidas. Segundo Doria, entretanto, a compra exclusiva para o Estado antes do cumprimento do contrato com o Ministério da Saúde está amparada pela decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que permitiu que Estados e municípios adquiram imunizantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: