Diretor de presídio de Niterói usou veículo oficial para ir a motel, aponta denúncia

Diretor será exonerado, segundo Seap

Uma denúncia apresentada pela Rede Globo revela que o diretor do Instituto Penal Edgar Costa, localizado no Centro de Niterói, utiliza um veículo oficial da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) para frequentar um motel na cidade. Após a denúncia, a Seap informou que  Anderson Leone Teixeira será exonerado do cargo.

A denúncia enviada à Rede Globo conta com um vídeo feito pelo condutor de uma moto e mostra um veículo da Seap percorrendo uma rua do Centro de Niterói e entrando em um motel próximo ao presídio. O denunciante afirmou que, apesar do vidro escuro, quem dirige o veículo é Anderson Teixeira.

O denunciante relevou ainda que o caso já acontece há pelo menos três meses. Segundo ele, semanalmente, sempre no horário do almoço, Anderson tem ido ao motel usando o carro oficial. De acordo com a testemunha, o diretor fica no local por aproximadamente seis horas, ignorando o horário no qual deveria estar trabalhando no presídio.

“É revoltante o que está acontecendo, o que aconteceu, o que vem acontecendo. Um servidor público pegar um carro público, um carro oficial para fazer as suas saídas, gastando combustível do estado, dinheiro público. Isso é inadmissível. É inaceitável, ainda mais partindo de um diretor de uma unidade prisional”, disse a testemunha.

O secretário de Administração Penitenciária do estado, Raphael Montenegro, classificou a denúncia como “inadmissível” e informou que o veículo flagrado na denúncia é o mesmo cedido para uso do diretor do Instituto Penal Edgar Costa. Ele afirmou que se trata de um “benefício garantido aos diretores [presídios] ter uma viatura oficial à disposição”, mas que o uso do veículo em “desvio de finalidade” pode provocar sanções administrativas.

À Rede Globo, Anderson Teixeira confirmou que o veículo pertence ao Instituto Penal Edgar Costa, mas negou que tenha sido ele que estava conduzindo o carro até o motel. Ele disse ainda que o mesmo veículo é utilizado por outros funcionários do presídio e que não sabe se o carro oficial tem sido usado para transporte até um motel.

Em nota, a Seap informou que “irá exonerar do cargo, nesta segunda-feira (5), o servidor envolvido” e que “ele também responderá administrativamente pelo ocorrido”. “A Seap ressalta que repudia qualquer irregularidade cometida por seus servidores e esclarece que iniciará uma investigação rigorosa para apurar os fatos”, diz o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: