Dia D contra o sarampo é neste sábado. 42 mil postos de saúde abrem para vacinar

O Dia “D” de mobilização nacional contra o sarampo acontece neste sábado (15) em todo o país. Nesta etapa da campanha devem ser vacinadas crianças e jovens na faixa etária de 5 a 19 anos

Os postos de vacinação de todo o país ficarão abertos neste sábado (15/02) para o dia “D” de mobilização nacional contra o sarampo. Nesta terceira etapa da Campanha Nacional de Vacinação o público-alvo são crianças e jovens de 5 a 19 anos. Até o dia 13 de março, a meta do Ministério da Saúde é vacinar 3 milhões de pessoas nesta faixa etária. O dia “D” de mobilização nacional é uma parceria do Ministério da Saúde com as secretarias estaduais e municipais de saúde. O objetivo é reforçar a importância da vacinação desse grupo prioritário e conter o avanço de casos e óbitos pela doença.

Durante o Dia D, os postos de saúde de todo o país abrem no sábado para vacinar crianças e jovens de 5 a 19 anos, público-alvo da campanha. Os horários de abertura desses estabelecimentos variam de região para região. Como programação do dia, a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, Francieli Fontana, participará, pela manhã, da ação de vacinação na Unidade de Saúde Vila Guaíra, em Curitiba (PR). No Rio de Janeiro, estado onde foi notificado a primeira morte por sarampo de 2020, a técnica do PNI, Adriana Lucena, participará da programação no Centro Municipal de Saúde Píndaro Carvalho Rodrigues. A vítima da doença no estado do Rio de Janeiro foi uma criança menor de 1 ano de idade, não vacinada.

“Não é possível termos um óbito sequer de uma criança ou em outra faixa etária por falta de vacinação. Por isso, convocamos todos os pais e responsáveis para garantir a vacinação. Essa é uma responsabilidade de todos”, destacou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.


Leia também:


Nesta semana, o ministro Luiz Henrique Mandetta lançou a nova Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Com o conceito “Mais proteção para a sua família”, a campanha busca sensibilizar pais e responsáveis sobre os riscos de não vacinar seus filhos, reforçando que o sarampo é uma doença grave e que pode matar. A ação faz parte do Movimento Vacina Brasil, do Ministério da Saúde, que visa ampliar a cobertura vacinal de crianças e jovens, incluindo faixas etárias que ainda não haviam sido convocadas e nem vacinadas, evitando o risco de propagação da doença no país.

O ministro Mandetta tem chamado a atenção para o fato de que, mesmo que os olhos do mundo estejam voltados para a China, devido ao surto de infecções causadas pelo novo coronavírus (Covid-19), o Brasil tem desafios epidemiológicos ainda mais importantes, como o sarampo, a febre amarela e a dengue.

O sarampo, inclusive, tem um alto nível de transmissibilidade. Uma pessoa infectada com a doença pode transmitir para até outras 18 pessoas. Já o novo coronavírus transmite para até duas pessoas, segundo estudos feitos até o momento, visto que a transmissão ocorre por gotículas (pequenas partículas de saliva e secreções nasais) através de tosse ou espirro, toque ou aperto de mão ou ainda contato com objetos ou superfícies contaminadas.

CASOS DE SARAMPO NO PAÍS

O Brasil ainda está com transmissão ativa de sarampo. A disseminação do vírus ocorre por via aérea ao tossir, espirar, falar ou respirar. Neste caso, não é necessário o contato direto porque o vírus pode se disseminar pelo ar a metros de distância da pessoa infectada. Ou seja, é alto o poder de contágio. A estimativa é de que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

No ano passado, foram registrados 18.203 casos confirmados e 15 óbitos. Neste ano, até 8 de fevereiro, há registro de 337 casos confirmados em oito estados: São Paulo (136), Rio de Janeiro (92), Paraná (64), Santa Catarina (22), Rio Grande do Sul (11), Pernambuco (7), Pará (4), e Alagoas (1). Do total, 67,7% dos casos confirmados estão concentrados na Região Sudeste (São Paulo e Rio de Janeiro). As crianças são ainda mais vulneráveis a sequelas e óbitos.

Para viabilizar esta fase da campanha em todo o país, o Ministério da Saúde já encaminhou, neste ano, 3,9 milhões de doses da vacina tríplice viral, 9% a mais que o solicitado pelos estados. O quantitativo é destinado à vacinação de rotina, às ações de interrupção da transmissão do vírus e a ‘dose zero’ para todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. A dose zero é um reforço aplicado desde agosto de 2019 e não substitui as doses já previstas no calendário vacinal: 12 meses de idade (1ª dose) e aos 15 meses (2ª dose).

ESTRATÉGIA NACIONAL

Com o objetivo de interromper a transmissão do sarampo, eliminar a circulação do vírus e garantir altas coberturas vacinais, o Ministério da Saúde traçou uma estratégia nacional. As duas primeiras etapas já ocorreram em 2019, com a realização de campanha de vacinação nacional, em outubro, de crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. A segunda etapa aconteceu em novembro para a população de 20 a 29 anos.

Dando continuidade às ações em 2020, outras duas etapas de mobilização nacional devem ocorrer, além da prevista para este mês de fevereiro: junho a agosto, para reforço do público de 20 a 29 anos de idade, mais suscetíveis ao sarampo; e em agosto para a população de 20 a 59 anos de idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito