Desabamento na Flórida: tempestade Elsa ameaça trabalhos de resgate; número de mortos chega a 22

A aproximação da tempestade Elsa na costa dos Estados Unidos ameaça os trabalhos das equipes de resgate que buscam nesta sexta-feira (2) por desaparecidos do desabamento na região de Miami que deixou 22 mortos até o momento.

O Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês) prevê que o fenômeno chegue à costa da Flórida na próxima terça (6).

Com ventos de 120 km/h, Elsa já é considerado um furacão e passa nesta sexta pela região de Barbados, no Caribe, mas a tendência é que ele perca sua potência durante o fim de semana.

As buscas por sobreviventes foram suspensas temporariamente por 15 horas na quinta (1º) por conta da chuva que atingia a região de Miami – reflexo da aproximação da tempestade.

Uma equipe de engenheiros identificou o risco de que parte da estrutura, já prejudicada pela queda, possa tombar ainda mais.

Até o momento, 20 corpos foram encontrados nos escombros e ao menos 126 pessoas ainda estariam desaparecidas.

Nesta sexta, foi identificado o corpo de uma criança de 7 anos, filha de um bombeiro de Miami.

As autoridades da Flórida divulgaram a identidade de parte das vítimas:

  • Stacy Dawn Fang, 54 anos
  • Antonio Lozano, 83 anos
  • Gladys Lozano, 79 anos
  • Manuel LaFont, 54 anos
  • Leon Oliwkowicz, 80 anos
  • Luis Bermudez, 26 anos
  • Anna Ortiz, 46 anos
  • Cristina Beatriz Elvira, 74 anos
  • Marcus Joseph Guara, 52 anos
  • Frank Kleiman, 55 anos
  • Michael David Altman, 50 anos
  • Hilda Noriega, 92 anos
  • Lucía Guara, 10 anos
  • Emma Guara, 4 anos
  • Anaely Rodríguez, 42 anos
  • Andreas Giannitsopoulos, 21 anos
  • Magaly Elena Delgado, 80 anos

Uma criança brasileira está entre os desaparecidos. Lorenzo Leone, de 5 anos, estava com seu pai, Alfredo Leone, quando o edifício veio abaixo. Sua mãe, Raquel Oliveira, não estava no apartamento porque visitava parte da família no Colorado.

Houve uma redução no número de possíveis desaparecidos maior do que no número de encontrados mortos, isso porque as autoridades revisaram as contagens iniciais e atualizaram este balanço.

Visita presidencial

O presidente dos EUA, Joe Biden, desembarcou na quinta-feira (1º) na Flórida onde se reuniu com socorristas e familiares das vítimas do desabamento na região de Miami.

“Eu só queria vir aqui para agradecer [pelos esforços]”, disse Biden ao lado da primeira-dama Jill.

O democrata tem como marca política a forma com que lida pessoalmente com tragédias. Tanto que ele chegou a ser chamado de “confortador-chefe” durante o governo Obama.

As autoridades da Flórida mantêm a esperança de que mais sobreviventes possam ser encontrados, mas as perspectivas pioram a cada hora.

Biden – que adiou a visita para não interromper os esforços de resgate – liberou recursos federais para ajudar na resposta ao desmoronamento.

Essa é ser a segunda vez em menos de um ano de mandato que Biden visita o cenário de um desastre – em fevereiro, ele esteve no Texas após uma intensa tempestade de inverno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: