Deputado líder dos caminhoneiros critica vale para categoria e chama medida do governo de ‘esmola’

O presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Caminhoneiro Autônomo e Celetista, deputado Nereu Crispim (PSD-RS), criticou o pagamento de um vale de R$ 400 para os caminhoneiros até o fim deste ano. A ideia é defendida por parlamentares com apoio do governo para minimizar os efeitos da alta do diesel para esses profissionais.

— Isso não vai passar — disse o deputado.

Ele lembrou que o Congresso votou a lei da liberdade econômica e agora quer beneficiar apenas um segmento da sociedade:

— Querem botar brete (lugar fechado para conter o gado para ser vacinado) assistencialista eleitoreiro Tabajara.

O deputado destacou que um caminhoneiro gasta entre R$ 8 mil e R$ 10 mil com diesel para rodar de São Paulo (SP) a Alagoas (AL) e classificou o vale de esmola.

— Essa gente propõe uma esmola que não paga a metade de uma recapagem de pneu! Nos respeitem! Isso é um deboche!

Para o parlamentar, a solução é criar um fundo de estabilização de preços para contornar a alta no preço do combustível.

Segundo o parlamentar, esse fundo poderia ser abastecido por recursos que a União deixa de arrecadar com isenção fiscal. Ele citou o projeto 1724, protocolado nessa terça-feira, após deliberação com as lideranças dos caminhoneiros.

A proposta sugere ainda a divisão em percentuais de 50% do valor para a saúde, 30% para um fundo de estabilização dos combustíveis e 20% para um fundo de renovação de frota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.