fbpx

Defesa Civil de Resende Participa de Exercício de emergência e segurança física na unidade da INB

Atividades do simulado foram realizadas nesta quarta e quinta-feira, dias 18 e 19 de agosto, nas dependências da INB em Resende

Mais uma vez, a equipe da Defesa Civil do Município de Resende, ligada à Prefeitura Municipal e atuante no Sipron (Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro), participou das atividades integradas do Exercício Parcial de Emergência e Segurança Física. A fábrica de Combustível Nuclear (FCN) da Indústrias Nucleares do Brasil (INB), situada em Resende, passou pelo exercício nesta quarta e quinta-feira, dias 18 e 19 de agosto. O simulado foi realizado por meio do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI/PR), a partir do Sipron.

O exercício, que faz parte do Programa Geral de Atividades do Sipron, contou com o envolvimento de aproximadamente 25 instituições, incluindo, órgãos de Segurança Pública. O diretor-geral da Defesa Civil do Município, Flávio Germano da Silva, reforçou sobre a importância do simulado da INB de Resende, instalada em 1982.

— A unidade abrigada em Resende representa um dos marcos da energia nuclear no Brasil. A Indústrias Nucleares do Brasil foi fundada em 1988, quando incorporou as empresas que faziam parte da Nuclebrás, criada em 1974, para cumprir o Acordo Nuclear entre Brasil e Alemanha. O ciclo de produção do combustível nuclear brasileiro engloba o processo desde a mineração até a montagem e entrega do elemento combustível nuclear. A unidade de elementos combustíveis foi inaugurada em 1982, em Resende, sendo ampliada em 1996, quando foi nomeada como Fábrica do Combustível Nuclear (FCN). É nesta indústria que são produzidos os combustíveis nucleares que abastecem as usinas de Angra 1 e Angra 2. Em 2006, entrou em funcionamento o primeiro módulo da cascata de centrífugas para enriquecimento de urânio em escala industrial na unidade de Resende. Desta forma, devido à complexidade do processo, faz-se necessária a promoção do simulado de segurança com a participação de várias instituições e a sociedade. Vale lembrar que, no contexto de pandemia da Covid-19, as medidas de segurança sanitária estão redobradas no âmbito industrial, sendo o treinamento mais restrito nesta edição – destaca.

Diante do cenário fictício, são reunidas respostas a situações de Emergência e Segurança Física na Fábrica de Combustível Nuclear, a partir de avaliação da integração entre a equipe de resposta da FCN e o Grupo de Apoio Externo (GAE). Neste ano, o treinamento contribuirá para a elaboração de protocolos de Segurança Física da FCN, em razão da implementação do Plano Nacional de Resposta Integrada a evento de Segurança Física Nuclear.

O Centro Nacional de Gerenciamento de Emergência Nuclear (CNAGEN), em Brasília-DF, o Centro Estadual de Gerenciamento de Emergência Nuclear (CESTGEN), no Rio de Janeiro-RJ, e o Centro de resposta local, na FCN, foram ativados e compostos por representantes de instituições do Sipron, com o objetivo de contribuir com o gerenciamento das respostas e soluções de problemas durante o exercício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: