Defesa Civil de Nova Iguaçu faz capacitação sobre Noções Básicas de Geologia

Cerca de 60 voluntários, líderes comunitários, universitários e representes de instituições não governamentais participaram nesta terça-feira (16) do Curso de Noções Básicas sobre geologia, processos geodinâmicos e riscos geológicos com ênfase em movimentos gravitacionais de massa, realizado pela Secretaria Municipal de Defesa Civil de Nova Iguaçu em parceria com a Escola de Governo da Prefeitura e o Departamento de Recursos Minerais do Estado do Rio de Janeiro (DRM-RJ). O evento foi realizado na Cruz Vermelha do município.
Foram repassadas aos participantes noções básicas de prevenção e ações seguras em situações de deslizamento de terra, além apresentados vários conceitos com foco em desastres naturais relacionados a movimentos de massa deflagrados por ciclo hidráulico (principalmente pluvial). Foram abordados especialmente casos de desastres naturais ocorridos no Estado do Rio de Janeiro. O Curso também abordou os processos da interação do homem com o meio ambiente. 
“Foram apresentadas noções básicas de prevenção e ações seguras em situações de deslizamento de terra, e como tomar medidas para prevenir e se comportar em chuvas fortes, que é um dos grandes potencializadores de deslizamentos”, explicou o tenente coronel Vilson Santos, superintende de Proteção Comunitário da Secretaria Municipal de Defesa Civil de Nova Iguaçu. Segundo ele, a participação da comunidade na prevenção de acidentes naturais é primordial. “Podemos agir juntos nas mobilizações preventivas para que não haja mortes ou feridos em caso de deslizamento de terra. Hoje podemos mobilizar as pessoas através do SMS de Emergência, onde fazemos cadastramentos pelos telefones celulares. Já há mais de 48 mil pessoas cadastradas em Nova Iguaçu e muitas são preparadas através de exercícios simulados”, explica ele. 
O curso, ainda segundo o tenente coronel, vai ser fundamental para os moradores de áreas onde há risco de deslizamento de terra, como Vila de Cava, Austin e Santa Rita, por exemplo, onde já ocorreram exercícios simulados de emergência. “Vamos chegar ao Carmary no fim do mês. Temos dez áreas de riscos de deslizamento de terra mapeadas no município pelo DRM e 2050 voluntários cadastrados na rede de servidores. Estamos preparados para atuar, mas é fundamental capacitar a todos”, lembrou Vilson.
Para Joana de Oliveira Ramalho, geóloga e coordenadora do Núcleo de Análise e Diagnóstico de Escorregamento do Departamento de Recursos Minerais do Estado, o curso vai despertar um olhar crítico nos participantes. “Falamos sobre geologia, ciclo das rochas, erosão, e vamos despertar um olhar crítico para identificar o problema no início, para que cada um passe a ser um agente multiplicador”, afirmou ela.
O técnico em eletrônica e recém-formado em Segurança no Trabalho, Cristiano Gonçalves da Silva, 46 anos, participou do curso e aprovou os conhecimentos recebidos. Morador de Comendador Soares, ele esperar passar o ensinamento para os vizinhos. “Na minha área a preocupação maior é com inundação, mas nos bairros vizinhos, como Austin e Riachão, há risco de deslizamento de terra. Me cadastrei há dois meses como voluntário, pois gosto de cooperar, ajudar ao próximo, mas quero me capacitar para estar apto a agir em caso de um desastre, facilitando assim o serviço da Defesa Civil”, disse ele. 
Nos próximos dias 6 e 7, a Defesa Civil vai realizar um curso de capelania pós-desastre, que vai oferecer aos participantes informações sobre como agir junto às famílias vítimas de desastres naturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: