Damares quer ser 1ª mulher a chefiar Senado, mas toparia vice de Bolsonaro

Damares Alves, ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, afirmou, em entrevista ao UOL News, nesta quarta (5), que será a “primeira mulher presidente do Senado”. Ela é pré-candidata no Distrito Federal pelo Republicanos. Mas também disse que aceitaria um convite para compor a chapa de Jair Bolsonaro (PL) como vice-presidente.

Desde 1826, quando foi criado no Império, o Senado nunca foi comandado por uma mulher, com exceção de momentos em que elas substituíram o presidente da casa por curtos períodos.

A câmara alta do parlamento vem funcionando como um contrapeso ao governo Bolsonaro, que conta com maioria folgada na Câmara dos Deputados, tendo sido palco, inclusive, da CPI da Covid. Por isso, o presidente convocou aliados conhecidos do público para disputarem o Senado, em outubro, como Damares. Um terço (27) cadeiras estão em jogo.

Mas apesar de afirmar que, hoje, a eleição legislativa lhe encanta mais pelo sonho de presidir o Senado, a ex-ministra disse que se Bolsonaro decidir que ela seria útil a um segundo governo dele, ela aceitaria o convite para ser vice-presidente em sua chapa.

“Estou em um projeto nacional com o presidente Bolsonaro e eu vou jogar no time que ele me escalar e na posição que ele me escalar”, afirmou.

O nome de Damares Alves é aventado como uma possibilidade para compor a chapa presidencial, dado a sua popularidade junto ao público evangélico, porém o mais cotado até o momento é o ex-ministro da Defesa e ex-ministro da Casa Civil, general Braga Netto, que hoje atua como assessor especial da Presidência da República e se filiou ao PL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.