Crivella inaugura Centro de Referencia da Pessoa com Deficiência na Praça Seca

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, inaugurou nesta segunda-feira, 24 de dezembro, o Centro de Referência da Pessoa com Deficiência (CRPD) do Mato Alto, na Praça Seca, Jacarepaguá, Zona Oeste. O espaço, com 3.477m², tem dois pavimentos, salas de atendimento, vestiários, auditório, anfiteatro e piscina, para sessões de hidroterapia. Este é o 7º CRPD da Prefeitura, onde se faz trabalho multidisciplinar, com fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos e outros profissionais, para apoio e melhora da qualidade de vida de pessoas com deficiência.

– Que aqui seja a casa delas, das pessoas com deficiência, que aqui encontrem fisioterapia, diversão, entretenimento, alento, cultura e inserção social, que é o sonho de nós todos – afirmou Crivella. – Agora os investimentos são voltados para as pessoas. Aquele momento de grandes obras e coisas caras já passou, agora o que precisamos realmente é saúde, educação, cuidar das pessoas com deficiência, melhorar a assistência social, dos nossos idosos e nossos órfãos. Para eles, toda a atenção – completou o prefeito.

Quando estiver funcionando plenamente, o CRPD do Mato Alto deverá fazer pelo menos 3 mil atendimentos por mês. Inicialmente, o trabalho será de cadastramento dos futuros usuários. Esse processo começa já na quarta-feira, 26, após o Natal. A inscrição é presencial, na unidade. A segunda fase, quando então as pessoas começarão a ser atendidas, está prevista para fevereiro.

– A abertura do CRPD do Mato Alto sinaliza uma nova etapa nas ações da Subsecretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SUBPD). Abrirá maior oportunidade de inclusão social para as pessoas com deficiência das comunidades no entorno da Praça Seca – disse o subsecretário Geraldo Nogueira.

Em 2018, os Centros de Referência já existentes em Vila Isabel, Irajá (Zona Norte), Campo Grande, Santa Cruz (Zona Oeste), São Conrado (Zona Sul) e Centro realizaram mais de 70 mil atendimentos. Nessas unidades as pessoas com deficiência recebem apoio variado: há equipes formadas por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, assistentes sociais, pedagogos, intérpretes de libras e instrutores de oficinas. São desenvolvidas atividades culturais, artísticas e esportivas, além de sessões de musicoterapia e oficinas de informática. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: