CPI quer ouvir YouTube e Facebook sobre lives de Bolsonaro

O vice-presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou nesta 6ª feira (18.jun.2021) requerimentos de convocação de representantes do Facebook e do YouTube para explicarem a veiculação de falas do presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro disse na 5ª feira (17.jun) que a contaminação pelo coronavírus é mais eficaz que as vacinas contra a doença. Deu a declaração em transmissão ao vivo feita em suas contas nas redes sociais.

“Eu estou vacinado entre aspas. Todos que contraíram o vírus estão vacinados, até de forma mais eficaz que a própria vacina, porque você pegou vírus para valer. Quem pegou o vírus está imunizado, não se discute”, disse.

O chefe do Executivo voltou a dizer que será o último vacinado do Brasil. Afirmou ainda que quem é contrário à proposta de desobrigar o uso de máscaras no país é “negacionista” por não acreditar na eficácia das vacinas. 

“O Senhor Presidente da República tem o direito de falar a besteira que quiser, ele só não tem direito de produzir o aumento desses números aqui, de cada vez mais disseminar notícias sem lastro na ciência que produzem o aumento desses números. Diante disso, Sr. Presidente, eu quero comunicar a vossa excelência e ao sr. Relator que estou protocolando agora requerimento de convocação das plataformas do Facebook e do YouTube.”

Randolfe disse ainda que por muito menos o ex-presidente Donald Trump foi banido das redes sociais. O Twitter bloqueou permanentemente o perfil do presidente norte-americano no dia 8 de janeiro. À época, a rede social justificou a decisão pelo “risco de mais incitação à violência”.

No dia anterior, apoiadores de Trump invadiram o Capitólio (Congresso dos EUA) durante sessão que certificaria a vitória de Joe Biden sobre o republicano. O ato resultou em 5 mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: