Covidímetro: São Gonçalo permanece com baixo risco de contaminação

 

Para ter a fase de risco determinada, são avaliados cinco indicadores, os quais tiveram queda em SG nesta terceira semana de janeiro - Divulgação

O levantamento da semana 03/2021, equivalente a semana de 17 de janeiro a 23 de janeiro, mantém a cidade na fase amarela 1, de baixo risco de contaminação, e destaca uma queda de quatro pontos nos indicadores em relação à semana anterior, que contabilizou oito pontos. As quedas aconteceram nos indicadores de variação de óbitos por Covid-19, que caíram de 4 para 2 pontos, que indica a fase amarela 2 (médio risco de contaminação). O mesmo aconteceu com o indicador de variação de pacientes internados, que também perdeu dois pontos. Todos os outros indicadores também tiveram quedas em seus percentuais, fazendo com que a média de pontos deixe São Gonçalo na fase Amarelo 1.
Para ter a fase de risco determinada, são avaliados cinco indicadores: capacidade de leitos de UTI, capacidade de leitos de enfermaria, variação de óbitos por Covid-19, variação de novos casos e variação de pacientes internados. Dependendo dos números do sistema municipal de saúde, a cidade vai contando alguns pontos. Com o total, a cidade é colocada em uma fase. São cinco no total, sendo o estágio amarelo 1 o de risco mais baixo (variação de 0 a 9 pontos) e o vermelho escuro (fase 5) com maior risco de contaminação (com pontuação maior que 40).

Na semana 03/2021, os indicadores de São Gonçalo apontaram 53% de ocupação de leitos de UTI adulto. Na semana anterior, eram 59% (0 ponto); 39% de ocupação de leitos de enfermaria, na semana anterior eram 47% (0 ponto); 0,8 de variação de óbitos pelo Coronavírus (2 pontos), na semana anterior foi de 1,17 (4 pontos); 0,8 de variação de pacientes internados (2 pontos), na semana anterior foi 1 (4 pontos); e -39% dos casos notificados na última semana comparada a semana anterior (0 ponto), na semana anterior foi de -1%. A análise dos indicadores é referente apenas às unidades da rede municipal de saúde, gerida pela Prefeitura, que somatizou e divulgou os dados.
As avaliações de confirmação de óbitos sofrem alterações diariamente e que são referentes a datas retroativas devido ao processo de investigação da Vigilância Epidemiológica com base em resultados dos testes realizados pelos pacientes. Embora os índices tenham melhorado, a doença ainda está circulando na cidade e é indispensável que a população continue com as medidas de prevenção, como manter o isolamento social, usar máscaras e manter as mãos limpas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: