Corpos de vítimas do acidente aéreo são liberados do IML; presidente do Palmas será enterrado nesta segunda-feira

Os corpos dos seis mortos no acidente aéreo neste domingo (24), em Palmas, foram identificados e liberados para as famílias. O Instituto Médico Legal de Palmas (IML) informou que apenas o corpo do presidente do Palmas, Lucas Meira, foi retirado para velório. O enterro será às 11h30, no cemitério Jardim das Acácias, em Palmas.

Segundo o clube, as famílias dos quatro atletas envolvidos no acidente e do piloto estão sendo assistidas para que os corpos sejam enviados para as suas cidades de origem. O clube irá fazer uma homenagem simbólica a eles a partir das 18h30 no Centro de Treinamento do Palmas (1006 Sul).

O acidente que vitimou seis pessoas foi numa pista de pouso particular em Luzimangues, distrito de Porto Nacional (TO), na manhã deste domingo. Estavam a bordo o presidente Lucas Meira, 32 anos, o zagueiro Guilherme Nóe, 28 anos, o lateral-esquerdo Lucas Praxedes, 23 anos, o goleiro Ranule, 27 anos, o atacante Marcos Molinari, 23 anos, e o piloto Wagner Machado, 59 anos.

Os quatro jogadores ainda não haviam estreado pelo Palmas e a opção do voo particular foi porque ambos estavam terminando o isolamento contra a Covid-19 neste domingo. O restante do grupo embarcaria às 18h30 em voo comercial. O destino seria Goiânia, onde o Palmas jogaria nesta segunda-feira contra o Vila Nova-GO, pelas oitavas da Copa Verde, em jogo único.

O que se sabe sobre o acidente

Não há informação sobre o que pode ter causado o acidente. Uma equipe do Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticas (SRIPA VI), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), localizado em Brasília (DF) foi acionada. Não há previsão de quanto tempo a apuração do caso deve levar.

De quem era o avião

Segundo o Corpo de Bombeiros, se trata de um bimotor modelo Baron, de prefixo PTLYG. O site da fabricante do avião, a Beechcraft, indica que este tipo de aeronave pode transportar no máximo seis pessoas por voo.

De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o avião pertencia a uma construtora com sede no Pará chamada Meirelles Mascarenhas Ltda e não tinha autorização para realização de serviços de táxi aéreo. A assessoria do Palmas informou que o avião tinha sido adquirido há pouco tempo pelo presidente, Lucas Meira, e que estava em fase de transferência. O time informou que o avião não estava realizando serviço de táxi aéreo.

A Agência Nacional de Aviação Civil informou que as informações sobre o tipo de contrato feito para este voo serão apuradas em processo administrativo de investigação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: